Quarta, 15 Março 2017 14:48

Recife: Escola Dom Bosco em parceria com a Funase

Escrito por  Danúbia Julião - Funase
Classifique este artigo
(2 votos)
Foto: Isneb Foto: Isneb

Oito adolescentes do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Cabo de Santo Agostinho iniciaram as aulas dos cursos profissionalizantes de Acabamento Gráfico e Impressão Offset, oferecidos pela Escola Dom Bosco. Por meio dessa parceria, que existe desde 2015, a Escola já recebeu 18 jovens da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) e tem somado histórias exitosas, que trazem como resultado a inserção no mercado de trabalho e o despertar de um caminho profissional para esses jovens em situação de vulnerabilidade social.

Anualmente, os adolescentes que se encaixam nos requisitos pré-definidos pela Escola Dom Bosco participam de uma seleção que começa dentro da unidade, realizada pela equipe técnica psicossocial e jurídica, que é composta por pedagogos, psicólogos, assistentes sociais e advogados. Então, os selecionados são conduzidos para o grupo gestor e o coordenador técnico da unidade os encaminha à Escola, onde eles passam ainda por uma entrevista realizada por um assistente social.

 

“Oportunidades como esta se fazem importantes pela inserção gradativa do jovem na sociedade. Além disso, para a formação profissional e o encaminhamento ao mercado de trabalho. Para concorrer às vagas eles têm que ter boa frequência escolar, bom relacionamento e comportamento disciplinar. Os que são selecionados servem de exemplo e estimulam os demais”, destacou Abinoan Barboza, coordenador técnico do Case Cabo.

 

A Escola Dom Bosco é uma entidade não governamental de ação social da Rede Salesiana Brasil. A instituição oferece vagas para adolescentes egressos de medidas socioeducativas, dentro do Projeto Vida Aprendiz, criado a partir do Decreto nº 41.695/2015, que determina que 30% das vagas destinadas a aprendizes em instituições públicas ou empresas sejam preenchidas por esse público.

 

“Essa é uma oportunidade de resgate de vida, em uma perspectiva de reinserção social. No curso, eles não são identificados como meninos da Funase. São nossos alunos. Essa é a missão da escola, reinserir o jovem na vida social, por meio de um sistema preventivo que o faça pensar através da razão, do amor e da religião, independentemente do seu credo. É um trabalho muito gratificante. É salvar vidas”, destacou a coordenadora pedagógica da Escola Dom Bosco, Fernanda Santana.

 

Os estudantes são acompanhados durante todo o curso, por meio de avaliações das suas habilidades analíticas e do desenvolvimento das atividades. Também é trabalhada a comunicação que, segundo Fernanda Santana, tem que ser assertiva, sendo de fundamental importância para o sucesso do trabalho nessa área. Dentro da grade curricular, os jovens têm aulas de Habilidades para a Vida, que trabalham mais o contexto da formação humana; e ainda atividades de lazer e integração com todos os outros cursos da área gráfica.

 

Essa é uma das alternativas para evitar a reincidência dos jovens do sistema socioeducativo e egressos da Funase. “O cumprimento da medida socioeducativa por si só deixa lacunas e a Escola Dom Bosco trabalha também essa questão da formação humana que é o que muitas vezes falta para esses meninos. Eles se capacitam e se formam para a vida”, finalizou a assistente social do Case Cabo, Karolinna Ferreira. As aulas são oferecidas de segunda a quinta-feira, com quatro horas de duração. O curso de Impressão Offset tem duração de 10 meses e o de Acabamento Gráfico dura cinco meses, podendo ser estendido por igual período.

 

Fontes: Funase e  Inspetoria Salesiana do Nordeste

Lido 1433 vezes Modificado em Segunda, 10 Abril 2017 13:42

Deixe um comentário