Segunda, 03 Julho 2017 15:47

Entrevista: Anthony Leung, o segundo missionário salesiano proveniente da China

Escrito por  Info ANS
Classifique este artigo
(1 Voto)

Anthony Leung é um jovem clérigo salesiano nascido em Hong Kong e chamado a ser missionário; atualmente, ele faz um período de formação de dois anos em Serra Leoa, na África. É o segundo missionário na história salesiana que provém da China. Anthony visita todos os dias as escolas salesianas, participa com os jovens dos jogos e da catequese e, sobretudo, difunde a alegria de Dom Bosco para que, como fez, sejam no futuro “bons cristãos e honestos cidadãos”.

 

A história da sua vocação e do seu trabalho cotidiano constitui um grande testemunho salesiano de fé: “Fui batizado quando era aluno da escola primária. Na verdade, eu nada sabia de Deus e me perguntava como pudesse existir gente que crê no que não pode ver. Meu professor disse-me que seria muito bom para o meu futuro que eu fosse católico e, simplesmente, aceitei”.

 

Depois do diploma da escola média, trabalhou cinco anos em várias atividades: num aeroporto, num hotel, num escritório e também numa escola. “Vivi muitas experiências. Estava muito feliz porque tinha bastante dinheiro para comprar as coisas que queria, viajava por outros países, tinha muitos amigos e também gostava de uma garota, mas sentia que me perdera”, conta o jovem Salesiano.

 

Essa ideia permaneceu no seu coração por mais de dois anos. Abandonou a oração e deixou de participar da missa. Perdeu totalmente o contato com Deus por dois anos e, afinal, percebeu que a sua vida era inútil: “porque não tinha vontade de enfrentar a realidade e tinha medo”, recorda.

 

Durante a Jornada Mundial da Juventude de 2008, na Austrália, sentiu claramente o chamado de Deus. “Quando o Papa elevou a hóstia consagrada, tive a percepção muito intensa de que estava me chamando a segui-Lo, a trabalhar para Ele. Depois daquela viagem, decidi entrar no seminário salesiano. Falei sobre isso com meus pais, mas a notícia deixou-os abalados. Minha mãe chorava e não nos falamos por quase uma semana, mas eu quis realmente seguir o caminho da vida religiosa e agora estou realizando aquele sonho”.

Fonte: Info ANS

Lido 1014 vezes

Deixe um comentário