Quarta, 12 Julho 2017 13:10

Educomunicação: para construir um ecossistema educativo

Escrito por  Ir. Márcia Koferrmann
Classifique este artigo
(1 Voto)
Rádio IMA, experiência de educomunicação no Instituto Maria Auxiliadora em Rio do Sul, SC Rádio IMA, experiência de educomunicação no Instituto Maria Auxiliadora em Rio do Sul, SC

Em um tempo no qual a lógica da rede se instaura no cotidiano e determina o estilo e a forma como se desenvolvem os processos relacionais, a educação precisa estar alicerçada em uma concepção e uma prática comunicacional capazes de serem um diferencial.

Neste sentido, “comunicar” vai muito além de uma definição técnica, como transmissão de uma mensagem entre emissor e receptor, mas diz respeito a todos os processos relacionais que perpassam a prática educativa. A comunicação é uma dimensão carismática salesiana, é uma preocupação que se revela desde as origens da prática educativa de Dom Bosco e Maria Domingas Mazzarello. Essa dimensão é hoje fortalecida pela prática da educomunicação, que expressa com muita clareza o estilo de educação e comunicação que acontece nos ambientes salesianos, sejam escolas, obras sociais, paróquias ou outros ainda.

 

A pedagogia do ambiente, característica salesiana, é um elemento inteiramente educomunicacional. Leva em consideração que todas as pessoas que fazem parte de uma comunidade, toda a estrutura física, todos os aspectos visíveis ou invisíveis possuem significado simbólico e comunicam alguma coisa. Em uma comunidade salesiana as relações são o grande diferencial, pois permitem a criação de vínculos positivos que geram sentimento de pertença e favorecem o desenvolvimento dos valores humanos e cristãos.

Assim, do ponto de vista educomunicativo, podem ser enumerados alguns aspectos essenciais que caracterizam o ecossistema educativo salesiano:

 

Educar para e na comunicação

Diz respeito ao estilo de relações que colabora com a criação do clima de família, em que se conjugam bondade e firmeza. Uma educação em que as relações são familiares e próximas permite o acompanhamento de cada pessoa, especialmente no que diz respeito à construção de um projeto pessoal de vida integral.

 

Propostas sólidas de comunicação e expressão

A apresentação de propostas educativas em que os jovens podem expressar-se e comunicar seus desejos, anseios e visão de mundo são fundamentais no ambiente salesiano. Isso permite uma educação integral voltada para as diferentes dimensões do ser humano. Além do desenvolvimento do conhecimento científico, que é uma responsabilidade e deve ser feito com competência, a educação salesiana precisa também ser promotora da cultura e da arte; precisa ser capaz de desenvolver a sensibilidade para o transcendente.

 

Presença ativa nos novos pátios

Os educadores salesianos devem levar em consideração a importância de uma maior aproximação e apropriação dos meios de comunicação, das linguagens técnicas e midiáticas, e precisam estar atentos às novas ambiências que se constroem. Nesse sentido, a inovação que a educação salesiana pode oferecer vai além da implantação de novas tecnologias digitais. Ela refere-se às novas relações, à compreensão e capacidade de adaptar-se às rápidas mudanças que acontecem sem perder a dimensão crítica e participativa que precisa ser vivenciado em qualquer ambiente ou contexto.

 

A prática da cidadania

É certo que o conhecimento, na atual realidade, é muito relativo, pois o que hoje é um dado, amanhã já pode ser revisto ou atualizado a partir de novas descobertas. Porém, as convicções construídas pela pessoa devem ser de tal forma trabalhadas que permitam aos indivíduos manter a mesma ética, a mesma postura cidadã em qualquer situação da vida. A educação voltada para os valores e para a prática cidadã precisa ser tão significativa no ambiente salesiano que os jovens possam ser verdadeiramente fermento na massa, os bons cristãos e honestos cidadãos capazes de evangelizar a cultura.

A partir dessas quatro perspectivas educomunicacionais é possível fazer uma revisão da prática educativa salesiana. A educomunicação é uma oportunidade de tecer um diálogo concreto com a sociedade, em uma atualização do Sistema Preventivo que favorece a formação de interlocutores sociais preocupados em transformar a realidade, tomando como princípio a centralidade da proposta de Jesus Cristo. E é este olhar cristocêntrico que permite que cada um seja promotor de valores como a dignidade humana, a igualdade, o respeito e o desenvolvimento de uma cultura de solidariedade e paz na atualidade.

Irmã Márcia Koffermann, FMA, coordena a Equipe de Comunicação Social das FMA na América (ECOSAM) e compõe, juntamente com o padre João Carlos Ribeiro, a Diretoria Executiva da RSB Comunicação.

Lido 1267 vezes Modificado em Quarta, 12 Julho 2017 18:22

Deixe um comentário