Sexta, 21 Setembro 2018 13:17

Tailândia: Dois salesianos nas regiões mais perigosas do país

Escrito por  AustraLasia - ANS
Classifique este artigo
(0 votos)

As três províncias do sul da Tailândia, as de Yala, Pattani e Narathiwat, têm sido, nos últimos anos, territórios bastante perigosos: há de fato vários movimentos separatistas e grupos extremistas, que realizam ataques contra a população local e que, ao longo dos últimos 15 anos causaram mais de 6000 mortes de civis e feriram cerca de 12.000 pessoas.

 

Naquela região, de maioria muçulmana, no entanto, também estão os Filhos Espirituais de Dom Bosco: os dois sacerdotes padre Joseph Suksan, tailandês e padre Antonio Miele, missionário italiano, que residem em Yala e animam uma pequena paróquia dedicada a Santo André. Junto com um sacerdote diocesano residente em Betong, próximo à fronteira com a Malásia e a três pequenas comunidades de Irmãs Servas do Coração Imaculado de Maria (SIHM) - 14° grupo da Família Salesiana - nos centros de Betong, Yala e Pattani eles cuidam do pequeno rebanho de fiéis, composto de algumas centenas de católicos em toda a área das três províncias.

 

Só uma forte fé e a coragem salesiana poderiam sustentar os membros da Família Salesiana, apesar da situação de grandes desafios e dificuldades. As já pequenas comunidades católicas estão diminuindo ainda mais, por conta da grande emigração de católicos que procuram fugir dos perigos que os cercam. Atualmente ninguém sente-se seguro em viajar durante a noite e é difícil encontrar algum catequista ou um agente pastoral disponível. Até mesmo uma simples viagem de carro torna-se um evento especial, por causa das dezenas de bloqueios das forças de segurança.

 

Nos últimos anos o número de alunos das poucas escolas católicas nas três províncias caiu significativamente. A única escola técnica existente, construída pelo falecido padre Gustav Roosens, SDB, perto de Pattani, por razões de segurança ainda nem sequer inaugurou os cursos após sua construção em 2013. No entanto, apesar da situação, a educação e o testemunho diário nas escolas católicas persiste.

 

Os membros da Família Salesiana estão presentes lá onde ninguém gosta de ir e, ao mesmo tempo, são gratos ao apoio da Diocese e da Inspetoria da Tailândia, que se manifesta de muitas maneiras.

 

Por sua vez, os missionários presentes em Yala afirmam: "Rezamos pela paz e pela chegada de outros voluntários, salesianos ou leigos, que possam encorajar nosso pequeno rebanho católico a permanecer nesta situação para testemunhar a fé".

 

Fonte: AustraLasia - ANS

 

Lido 916 vezes

Deixe um comentário