Quinta, 08 Dezembro 2016 14:17

Professora e musicista relata experiência em escola salesiana

Escrito por  RSE Informa
Classifique este artigo
(0 votos)

Dom Bosco afirmava que “uma casa salesiana sem música é como um corpo sem alma”. Nessa sintonia, o Colégio Salesiano Região Oceânica de Niterói, RJ oferece a seus alunos aulas de musicalização de coral e flauta. O projeto extracurricular conta com a coordenação da professora Alexandra Seabra. Nesta entrevista, realizada pelo departamento de comunicação da escola, a educadora conta um pouco de sua experiência e das atividades promovidas na escola.

Orquestra de Cordas da Grota

 

Minha vivência com a música iniciou em 2000, quando minha mãe me matriculou no projeto social Orquestra de Cordas da Grota, na comunidade onde vivo desde que nasci. Na ONG, hoje Espaço Cultural da Grota, a metodologia de ensino da música inicia com a musicalização na flauta doce, pois os coordenadores Marcio Selles e Lenora Mendes acreditam que por meio da flauta doce o aluno consegue aprender a leitura musical com mais facilidade.

 

Comecei a dar aulas no projeto com 13 anos. Sempre que entravam alunos novos, eu ajudava a Lenora e, a partir daí, comecei a gostar da ideia de me tornar professora de música. Aos 14 me tornei monitora e com formação técnica, aos 18, pelo Conservatório de Música do Rio de Janeiro, em Niterói. Foi então que, ao entrar para a faculdade (Conservatório Brasileiro de Música - Centro Universitário), conheci o processo de musicalização por meio de jogos e brincadeiras musicais.

 

Música, desenvolvimento cognitivo e social

 

Ao participar de atividades lúdicas e cursos, comecei a perceber que para crianças que não possuem uma vivência musical, começar a apreciar a música (seja ela popular ou erudita) com o auxílio de jogos e brincadeiras seria um perfeito caminho para o desenvolvimento psicomotor. Em nossas aulas, além dos instrumentos, trabalhamos e criamos linguagens contemporâneas que os auxiliam na grafia musical e, principalmente, na percepção auditiva.

 

No Colégio Salesiano Região Oceânica, o processo de musicalização inicia com a expressão musical e percepção. Trabalhamos a marcação de tempo (andamento musical) e movimento. Após esse processo, iniciamos as alturas (grave, médio e agudo), as notas musicais, grafia musical contemporânea (neste ponto, nós criamos grafias por meio de símbolos, para facilitar a leitura e o entendimento dos alunos menores), som e silêncio, parlendas (músicas faladas), músicas folclóricas, jogos e brincadeiras musicais que estimulem o interesse e conhecimento dos instrumentos de orquestra e notas musicais.

 

Desta forma acredito que os alunos estejam bem iniciados para que futuramente possam começar um novo processo de educação musical mais formal com leituras de partituras e práticas em instrumentos, que aqui no Salesiano é a flauta doce Soprano, iniciação em canto coral e iniciação em teoria musical.

 

Para os 4º e 5º anos do ensino fundamental há aulas de flauta doce e musicalização como parte da grade curricular e, ainda, opção de Escolinha de Música de violão como projeto extracurricular.

 

Orquestra de Cordas da Grota

 

Em algumas oportunidades, a Orquestra veio como convidada ao Salesiano para apresentações. Tivemos como objetivo encurtar distâncias com alunos que talvez não tenham tido a oportunidade de conhecer uma orquestra pessoalmente e, principalmente, mostrar a importância de um projeto social dentro de uma comunidade.

 

Nestes encontros, além de mostrar como é a ONG, contar um pouco da nossa história e como funciona uma orquestra, tive como objetivo maior a troca de experiências e prática em conjunto. Fazer com que os alunos tocassem e cantassem junto com a orquestra despertou neles o interesse pela continuidade nas aulas de música, na prática na flauta doce e outras vivências musicais.

 

RSE Informa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lido 1200 vezes Modificado em Segunda, 12 Dezembro 2016 14:51

Deixe um comentário