Segunda, 08 Outubro 2018 14:59

"O Espírito Santo nos dá a capacidade de sonhar"

Escrito por  ANS
Classifique este artigo
(0 votos)
"O Espírito Santo nos dá a capacidade de sonhar" Foto: ANS

O Sínodo dos Bispos sobre a juventude começou num contexto difícil e aparentemente desfavorável para a Igreja, em meio a tensões, descrença, diminuição das vocações e contestações abertas em relação a ensinamentos da Igreja sobre questões importantes, como o direito à vida e o papel da fé cristã no tecido social e nos direitos humanos. Por outro lado, apesar das complexas circunstâncias que permeiam este evento, a presença de dois bispos da China continental, que pela primeira vez podem participar de um Sínodo, representa um sinal de comunhão e esperança.

 

A Igreja está consciente de que o mundo da juventude mudou radicalmente: os jovens de hoje vivem em um mundo globalizado, uma rede de interconexões e relacionamentos, de sofrimentos e contradições. Os jovens enviam uma mensagem clara: "é difícil juntar nosso crescimento, nosso percurso rumo à vida adulta e a experiência religiosa".

 

A Igreja também sabe que, sem a força dos jovens, acabará por perder sua capacidade de entusiasmo e força. Sem medo de exagerar, podemos dizer que este sínodo acontece em um momento crítico para a Igreja. O Papa diz: "Este Sínodo tem a oportunidade, a tarefa e o dever de ser um sinal de uma Igreja que realmente ouve, que se deixa envolver pela experiência daqueles que encontra, que não tem sempre uma resposta pronta".

 

Está em jogo, afirma o pontífice, o papel profético da Igreja diante das novas gerações: "A Igreja que não ouve, mostra-se fechada à novidade, fechada para as surpresas de Deus e pode não ser credível, particularmente para os jovens, que inevitavelmente se afastam em vez de se aproximarem”.

 

Neste clima de diálogo, o Papa convida os padres sinodais a não se deixarem "sufocar e esmagar pelos profetas de calamidades e desgraças" nem por nossas "limitações, erros e pecados", mas para serem capazes de "encontrar espaço para inflamar o coração e discernir os caminhos do Espírito".

 

Este Sínodo representa um marco para a Família Salesiana, pois fala direto ao cerne do nosso carisma e certamente nos oferece elementos que nos ajudarão a discernir novos métodos e maneiras de servir aos jovens.

 

As diretrizes oferecidas pelo Papa em seu discurso de abertura do Sínodo inspiram até mesmo o percurso de percepção e rendição em relação à escuta dos jovens e a responder à pergunta do Capítulo Geral 28 "Quais salesianos para os jovens de hoje?".

 

Como o Papa sempre afirmou, mais do que nunca são necessários "Ardor e paixão evangélica que geram o ardor e a paixão por Jesus. Memória que possa despertar e renovar em nós a capacidade de sonhar e esperar. Porque sabemos que nossos jovens serão capazes de profecia e visão na medida em que nós, já adultos ou já idosos, formos capazes de sonhar e assim contagiar e partilhar os sonhos e as esperanças que carregamos no coração."

Fonte: ANS

Lido 465 vezes

Deixe um comentário