O Colégio Salesiano Dom Bosco de Piracicaba, SP, instituição membro da Rede Salesiana de Escolas (RSE), inaugurou na noite de 26 de janeiro a unidade da pré-escola, o Dombosquinho. Da solenidade participaram membros da direção, colaboradores do Colégio e Faculdade Dom Bosco e Oratório São Mário, o ex-aluno Luiz Gonzaga Germano e Silva – representando os ex-alunos, vereador João Manoel dos Santos –, presidente da Câmara de Vereadores, Gabriel Ferrato os Santos –, o secretário municipal de Educação e representante do prefeito Barjas Negri, e padre Edson Donizetti Castilho, inspetor de São Paulo. “O Dombosquinho é um investimento que reúne as melhores condições para a educação das crianças, com projeto pensado e repensado por especialistas da construção civil e pedagogos, das calçadas aos jardins”, afirma o padre José Ailton Trindade, diretor.

Padre Edvaldo Nogueira da Silva, que assumiu em janeiro o cargo de coordenador pedagógico e pastoral do Parque Dom Bosco, em Itajaí, SC, participou de vários programas de TV e rádio com transmissão na cidade e região. Na tarde de 30 de janeiro o salesiano foi entrevistado por Rineda Miranda no Programa Variedades com Você da TV Brasil Esperança e no período da noite, na mesma emissora, padre Edvaldo participou do Programa TVBE Entrevista, apresentado por Sandro Garcia. Já na manhã do dia 31, foi a vez de Rubens Angioletti do Programa 106 Notícias da Rádio 106 FM receber padre Edvaldo. No final do dia o salesiano marcou presença no Programa Café Debate da Rádio Univali.

A Inspetoria São João Bosco (ISJB) iniciou em 2012 o voluntariado vocacional. Os jovens Anderson Nunes, Patrick Costa, Moisés Rafael, Lucas Daniel, Gutielles Santos, Luiz Gustavo, Diego da Silva e Giovani Junior irão morar nas comunidades salesianas de Araxá e Barbacena, MG e Ceilândia, DF. Terão a oportunidade de vivenciar o dia a dia dos salesianos e serão acompanhados pelos mesmos, juntamente com o Sistema Salesiano de Orientação Vocacional (SSOV). Segundo o delegado do SSOV, o salesiano José Ricardo Mole, “o voluntário vocacionado é um jovem que se sente chamado à vida religiosa salesiana e se coloca em atitude de discernimento, dispondo-se a residir numa comunidade salesiana e a trabalhar como voluntário na ação educativa e pastoral salesiana”. O jovem, antes de ingressar na comunidade de voluntariado vocacional, precisa ser acompanhado externamente pelo SSOV, recebendo visitas em casa, participando das convivências vocacionais e do estágio vocacional com duração de sete dias.

O jornal El Comercio, do Peru, em artigo publicado dia 16 de janeiro, focalizou o empenho do padre salesiano Luigi Bolla Sartori, que há 28 anos trabalha como missionário nas comunidades da população indígena ashuar. Retomando a história de padre Bolla, El Comercio inicia pela sua chegada ao Equador, como missionário proveniente da Itália. No Equador,
o missionário aprendeu a língua ashuar e, a partir de 1954, dedicou-se a ensiná-la. “Pedi aos meus superiores, em 1971, que me deixassem viver como eles. Não segundo o estilo de um missionário tradicional, mas segundo o estilo dos indígenas. Comecei a viver em suas casas, a vestir-me como eles, a comer como eles”, relembra padre Bolla. O missionário passou depois ao Peru, em 1984, para servir às comunidades ashuar de Loreto e das outras tribos: Huambisa, Candoshi e Quíchua. Afirma que a sua missão é a de comunicar a mensagem evangélica e que isto implica remediar também a todas as necessidades do ser humano.

Na festa de São Francisco de Sales, 24 de janeiro, os salesianos da Visitadoria Indonésia-Timor (ITM) inauguraram o Instituto Filosófico Salesiano, de Dili-Comoro, Timor-Leste. Participaram da cerimônia de inauguração várias autoridades civis, tendo à frente o vice-primeiro ministro do país, José Luis Gutierres, e o ministro da Educação, João Câncio. Representando a unidade da Família Salesiana, estiveram presentes também a superiora das Filhas de Maria Auxiliadora, irmã Floriana Guterrese, e o presidente da Associação dos Ex-alunos Salesianos, Agostinho Gonçalves. Padre João Paolino Aparício Guterres, superior da Visitadoria, ilustrou a necessidade e importância de ter um centro de estudo que dialogue
com a cultura local, de modo especial com a cultura juvenil. “Formar um salesiano profundamente de Dom Bosco e adicalmente timorense será o objetivo do Instituto”, disse ele.

Pagina 642 de 642