Jovens missionários levam esperança a comunidades carentes

Wednesday, 15 August 2012 20:43 Written by  Editorial Boletim Salesiano
Jovens missionários levam esperança a comunidades carentes Missão Juvenil em Sangradouro, Mato Grosso
  As férias de julho serão inesquecíveis para muitos jovens alunos salesianos. Nesse mês, eles dedicaram alguns dias de sua vida para fazer o bem ao próximo. Em grupos, eles participaram de atividades missionárias e de voluntariado em comunidades carentes, conheceram realidades totalmente diferentes das que encontram em seu cotidiano, viveram na prática os ensinamentos do Evangelho e foram, de fato, discípulos e missionários de Jesus, levando esperança aos que mais precisam. Doando um pouco de si, os jovens receberam muito em troca e com certeza levarão para o resto da vida o aprendizado das atividades missionárias organizadas pelos Salesianos de Dom Bosco (SDB) e pelas Filhas de Maria Auxiliadora (FMA). Essas ações ocorreram em vários estados do país. Aqui, destacamos a Semana Missionária, realizada em São Paulo; a Missão Juvenil Salesiana, em Mato Grosso; e a Animação Missionária Juvenil (AMJ), realizada em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná.    

São Paulo: missionários, no carisma de Dom Bosco

“Evangelizar, a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária e profética, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (cf. Jô 10,10) rumo ao Reino definitivo”. Esse é o objetivo das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil. Mas pode ser adotado também como objetivo d a Semana Missionária, realizada entre os dias 14 e 22 de julho em cinco cidades de São Paulo. A Semana Missionária foi organizada conjuntamente pelo Serviço de Animação Missionária e pelo Serviço de Animação Vocacional da Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora (SDB) e pela Inspetoria Santa Catarina de Sena (FMA).

Foram dias intensos em que grupos formados por 25 jovens, em média, vindos dos colégios salesianos, partiram em direção às cidades de Buri, Guaratinguetá, Jacupiranga, Nova Campina e São Paulo. Visitas às casas, missas, momentos de oração e bênçãos e atividades lúdicas foram a tônica da Semana Missionária.

“Foi uma excelente oportunidade de fortalecimento da espiritualidade cristã e salesiana, de amizade e de conscientização com relação às drogas...”, conta o salesiano Tiago Eliomar, que acompanhou as missões no bairro de Itaquera, zona leste da capital paulista. Lá, a Pastoral da Sobriedade coordenou também uma formação durante toda a semana acerca do tema “drogas”.

Em Guaratinguetá, o afeto demonstrado pelos jovens missionários era retribuído em dobro pelas crianças e adolescentes da zona rural. “Eles sentiam falta do abraço, do toque; são muito carentes. Parecia que estávamos dando o que muitos deles não têm em casa, que é o carinho”, conta o salesiano Pedro André.

Diversos religiosos acompanharam a Semana Missionária, entre eles o padre Alexandre Luís de Oliveira e a irmã Teresa Cristina Domiciano, responsáveis pela Pastoral Juvenil entre os SDB e as FMA, respectivamente. Ao final das atividades, padre Alexandre publicou uma mensagem que exprime o sentimento do que foi participar da Semana Missionária: “Foi lindo contemplar tantos corações generosos... Dom Bosco está muito feliz com vocês, queridos jovens, assessores, seminaristas e padres que doaram vida, energia, saúde, criatividade, fé e uma dose generosa de amor a tantos ao longo desta semana... Muito obrigado, queridos bons pastores. Deus os abençoe e recompense! É a vida salesiana, é o sonho de Dom Bosco vivo!”.

 

Mato Grosso: juventude salesiana segue para voluntariado

Pouco mais de 50 jovens com idade entre 18 e 25 anos, oriundos de quatro cidades do Mato Grosso do Sul e do interior do Estado de São Paulo, realizaram no período entre 13 e 23 de julho o trabalho voluntário em obras sociais, comunidades religiosas e aldeias indígenas no Estado do Mato Grosso. A viagem, intitulada Missão Juvenil, foi promovida pela Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT), por meio do setor de Pastoral Juvenil.

De acordo com o padre Tiago Figueiró, delegado inspetorial da Pastoral Juvenil da MSMT e coordenador da Missão Juvenil, “o que chama o jovem a participar desse tipo de projeto é a vontade de ir longe”. Todos os participantes eram ligados às instituições de ensino, obras sociais, paróquias e outras presenças da MSMT.

Divididos em cinco grupos, eles realizaram atividades nas aldeias indígenas atendidas pela casa salesiana de Meruri, no município de General Carneiro; Oratório Filhos de Dom Bosco, em Rondonópolis; Oratório Salesiano São Domingos Sávio, no bairro Pedra 90, em Cuiabá; aldeias Bororo e Xavante da casa salesiana de Sangradouro, também em General Carneiro; e Paróquia Santo Antônio, em Barra do Garças.

 

Atividades

Em julho do ano passado, durante a Missão Juvenil em Meruri e Rondonópolis, os jovens voluntários identificaram os problemas e necessidades locais para que, neste ano, fossem realizadas ações concretas. Em Meruri, acadêmicos de Enfermagem, Educação Física, Psicologia e Terapia Ocupacional promoveram atividades para ocupação do tempo livre dos indígenas, a fim de minimizar conflitos pessoais e envolvimento com o vício. No oratório de Rondonópolis, o trabalho foi voltado para a capacitação e orientação dos educadores para melhor desenvolver as ações sociais, educativas e religiosas.

Nos demais locais, o trabalho dos jovens foi o de vivenciar a realidade e cultura, identificar problemas e necessidades para, ao fim da viagem, ter condições de preparar um projeto de intervenção para o ano que vem.

Os depoimentos dos participantes comprovam que a experiência da Missão Juvenil ficará marcada para sempre em suas vidas: “A Missão Juvenil nos convocou a sair de nós mesmos e ir além de nossas limitações, colocando-nos a serviço e nos propiciando uma reflexão fundamentada em uma ação transformadora. Foi uma experiência muito valiosa e gratificante”, considera Alyne Goulart, de Campo Grande. Paloma Busanello Corrêa, de Rondonópolis, MT, concorda: “Foram dias incríveis, momentos especiais, ao lado de novos amigos com o mesmo propósito. O que mais me chamou a atenção foi a união que o grupo adquiriu durante esses dez dias. Vou levar essa experiência de aprendizagem para a vida toda!”.

 

AMJ realiza atividades em três estados do Sul do país

A Animação Missionária Juvenil (AMJ), evento promovido pela Articulação da Juventude Salesiana, esse ano teve atividades em três estados do Sul do país: Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Em Santa Catarina, as atividades começaram na tarde de 15 de julho, com a missa de envio celebrada na Paróquia Santo Antônio, em Joinville. Os cerca de 40 participantes foram acolhidos pela comunidade local e viveram momentos de integração e animação missionária. O primeiro dia foi marcado pelas reuniões do grupo, pelo conhecimento do projeto e da região de trabalho e pela divisão de tarefas. Os dias que se seguiram foram de muito trabalho e oração, sempre tendo como orientação a Palavra de Deus refletida nas atividades concretas. Mesmo com as chuvas que caíam sobre o estado, foi intensa a participação das crianças no Oratório iniciado pelos jovens missionários, que contagiaram a todos com as dinâmicas e brincadeiras propostas. Na parte da tarde, a comunidade abriu suas casas para as visitas e bênçãos das famílias. A experiência se repetiu também na Comunidade Cristo Bom Pastor.

No Paraná, seis adolescentes e duas jovens iniciaram as atividades da AMJ em 14 de julho, em Curitiba. Essa missão teve como característica a presença em uma cidade grande, já que os adolescentes, pela idade, não poderiam estar em missões tradicionais. “O objetivo é despertar o espírito de missão nos adolescentes, para que eles voltem motivados”, explicou Kamila Santana, articuladora da AJS e uma das jovens que acompanharam a missão. Como afirmou padre José Rodolpho Hess, na homilia da missa de envio, o ponto forte da tarefa iniciada pelos missionários em comunidades carentes de Curitiba foi ter “jovens evangelizando jovens”.

Já em Bagé, RS, quase 40 jovens missionários iniciaram a AMJ em 22 de julho. Os missionários foram acolhidos pela comunidade da Paróquia São Pedro e iniciaram as visitas domiciliares e as atividades do Oratório no bairro São Bernardo, onde está localizada a paróquia. Ao final de cada dia, os missionários participavam da Eucaristia, refletiam sobre tudo que realizaram e escreviam uma página do Diário de Missão.

Para os jovens alunos de escolas salesianas, essa inserção em uma realidade diferente trouxe novas perspectivas, como bem exemplifica o depoimento de Taciara Laise Argilar, aluna do Colégio Dom Bosco de Santa Rosa, RS: “A ação missionária proporcionou para mim a experiência de um novo modo de vida, de desapego dos hábitos que nos tornam alienados a uma rotina que acaba por nos fazer cada vez mais egocêntricos. A missão me fez perceber o quanto somos fortes e, ao mesmo tempo, o quanto somos vulneráveis. Vim em gesto de doação, mas sinto que ganhei muito mais do que eu poderia dar”, finaliza. 

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Friday, 17 August 2012 06:15

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Jovens missionários levam esperança a comunidades carentes

Wednesday, 15 August 2012 20:43 Written by  Editorial Boletim Salesiano
Jovens missionários levam esperança a comunidades carentes Missão Juvenil em Sangradouro, Mato Grosso
  As férias de julho serão inesquecíveis para muitos jovens alunos salesianos. Nesse mês, eles dedicaram alguns dias de sua vida para fazer o bem ao próximo. Em grupos, eles participaram de atividades missionárias e de voluntariado em comunidades carentes, conheceram realidades totalmente diferentes das que encontram em seu cotidiano, viveram na prática os ensinamentos do Evangelho e foram, de fato, discípulos e missionários de Jesus, levando esperança aos que mais precisam. Doando um pouco de si, os jovens receberam muito em troca e com certeza levarão para o resto da vida o aprendizado das atividades missionárias organizadas pelos Salesianos de Dom Bosco (SDB) e pelas Filhas de Maria Auxiliadora (FMA). Essas ações ocorreram em vários estados do país. Aqui, destacamos a Semana Missionária, realizada em São Paulo; a Missão Juvenil Salesiana, em Mato Grosso; e a Animação Missionária Juvenil (AMJ), realizada em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná.    

São Paulo: missionários, no carisma de Dom Bosco

“Evangelizar, a partir de Jesus Cristo e na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária e profética, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, para que todos tenham vida (cf. Jô 10,10) rumo ao Reino definitivo”. Esse é o objetivo das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil. Mas pode ser adotado também como objetivo d a Semana Missionária, realizada entre os dias 14 e 22 de julho em cinco cidades de São Paulo. A Semana Missionária foi organizada conjuntamente pelo Serviço de Animação Missionária e pelo Serviço de Animação Vocacional da Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora (SDB) e pela Inspetoria Santa Catarina de Sena (FMA).

Foram dias intensos em que grupos formados por 25 jovens, em média, vindos dos colégios salesianos, partiram em direção às cidades de Buri, Guaratinguetá, Jacupiranga, Nova Campina e São Paulo. Visitas às casas, missas, momentos de oração e bênçãos e atividades lúdicas foram a tônica da Semana Missionária.

“Foi uma excelente oportunidade de fortalecimento da espiritualidade cristã e salesiana, de amizade e de conscientização com relação às drogas...”, conta o salesiano Tiago Eliomar, que acompanhou as missões no bairro de Itaquera, zona leste da capital paulista. Lá, a Pastoral da Sobriedade coordenou também uma formação durante toda a semana acerca do tema “drogas”.

Em Guaratinguetá, o afeto demonstrado pelos jovens missionários era retribuído em dobro pelas crianças e adolescentes da zona rural. “Eles sentiam falta do abraço, do toque; são muito carentes. Parecia que estávamos dando o que muitos deles não têm em casa, que é o carinho”, conta o salesiano Pedro André.

Diversos religiosos acompanharam a Semana Missionária, entre eles o padre Alexandre Luís de Oliveira e a irmã Teresa Cristina Domiciano, responsáveis pela Pastoral Juvenil entre os SDB e as FMA, respectivamente. Ao final das atividades, padre Alexandre publicou uma mensagem que exprime o sentimento do que foi participar da Semana Missionária: “Foi lindo contemplar tantos corações generosos... Dom Bosco está muito feliz com vocês, queridos jovens, assessores, seminaristas e padres que doaram vida, energia, saúde, criatividade, fé e uma dose generosa de amor a tantos ao longo desta semana... Muito obrigado, queridos bons pastores. Deus os abençoe e recompense! É a vida salesiana, é o sonho de Dom Bosco vivo!”.

 

Mato Grosso: juventude salesiana segue para voluntariado

Pouco mais de 50 jovens com idade entre 18 e 25 anos, oriundos de quatro cidades do Mato Grosso do Sul e do interior do Estado de São Paulo, realizaram no período entre 13 e 23 de julho o trabalho voluntário em obras sociais, comunidades religiosas e aldeias indígenas no Estado do Mato Grosso. A viagem, intitulada Missão Juvenil, foi promovida pela Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT), por meio do setor de Pastoral Juvenil.

De acordo com o padre Tiago Figueiró, delegado inspetorial da Pastoral Juvenil da MSMT e coordenador da Missão Juvenil, “o que chama o jovem a participar desse tipo de projeto é a vontade de ir longe”. Todos os participantes eram ligados às instituições de ensino, obras sociais, paróquias e outras presenças da MSMT.

Divididos em cinco grupos, eles realizaram atividades nas aldeias indígenas atendidas pela casa salesiana de Meruri, no município de General Carneiro; Oratório Filhos de Dom Bosco, em Rondonópolis; Oratório Salesiano São Domingos Sávio, no bairro Pedra 90, em Cuiabá; aldeias Bororo e Xavante da casa salesiana de Sangradouro, também em General Carneiro; e Paróquia Santo Antônio, em Barra do Garças.

 

Atividades

Em julho do ano passado, durante a Missão Juvenil em Meruri e Rondonópolis, os jovens voluntários identificaram os problemas e necessidades locais para que, neste ano, fossem realizadas ações concretas. Em Meruri, acadêmicos de Enfermagem, Educação Física, Psicologia e Terapia Ocupacional promoveram atividades para ocupação do tempo livre dos indígenas, a fim de minimizar conflitos pessoais e envolvimento com o vício. No oratório de Rondonópolis, o trabalho foi voltado para a capacitação e orientação dos educadores para melhor desenvolver as ações sociais, educativas e religiosas.

Nos demais locais, o trabalho dos jovens foi o de vivenciar a realidade e cultura, identificar problemas e necessidades para, ao fim da viagem, ter condições de preparar um projeto de intervenção para o ano que vem.

Os depoimentos dos participantes comprovam que a experiência da Missão Juvenil ficará marcada para sempre em suas vidas: “A Missão Juvenil nos convocou a sair de nós mesmos e ir além de nossas limitações, colocando-nos a serviço e nos propiciando uma reflexão fundamentada em uma ação transformadora. Foi uma experiência muito valiosa e gratificante”, considera Alyne Goulart, de Campo Grande. Paloma Busanello Corrêa, de Rondonópolis, MT, concorda: “Foram dias incríveis, momentos especiais, ao lado de novos amigos com o mesmo propósito. O que mais me chamou a atenção foi a união que o grupo adquiriu durante esses dez dias. Vou levar essa experiência de aprendizagem para a vida toda!”.

 

AMJ realiza atividades em três estados do Sul do país

A Animação Missionária Juvenil (AMJ), evento promovido pela Articulação da Juventude Salesiana, esse ano teve atividades em três estados do Sul do país: Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Em Santa Catarina, as atividades começaram na tarde de 15 de julho, com a missa de envio celebrada na Paróquia Santo Antônio, em Joinville. Os cerca de 40 participantes foram acolhidos pela comunidade local e viveram momentos de integração e animação missionária. O primeiro dia foi marcado pelas reuniões do grupo, pelo conhecimento do projeto e da região de trabalho e pela divisão de tarefas. Os dias que se seguiram foram de muito trabalho e oração, sempre tendo como orientação a Palavra de Deus refletida nas atividades concretas. Mesmo com as chuvas que caíam sobre o estado, foi intensa a participação das crianças no Oratório iniciado pelos jovens missionários, que contagiaram a todos com as dinâmicas e brincadeiras propostas. Na parte da tarde, a comunidade abriu suas casas para as visitas e bênçãos das famílias. A experiência se repetiu também na Comunidade Cristo Bom Pastor.

No Paraná, seis adolescentes e duas jovens iniciaram as atividades da AMJ em 14 de julho, em Curitiba. Essa missão teve como característica a presença em uma cidade grande, já que os adolescentes, pela idade, não poderiam estar em missões tradicionais. “O objetivo é despertar o espírito de missão nos adolescentes, para que eles voltem motivados”, explicou Kamila Santana, articuladora da AJS e uma das jovens que acompanharam a missão. Como afirmou padre José Rodolpho Hess, na homilia da missa de envio, o ponto forte da tarefa iniciada pelos missionários em comunidades carentes de Curitiba foi ter “jovens evangelizando jovens”.

Já em Bagé, RS, quase 40 jovens missionários iniciaram a AMJ em 22 de julho. Os missionários foram acolhidos pela comunidade da Paróquia São Pedro e iniciaram as visitas domiciliares e as atividades do Oratório no bairro São Bernardo, onde está localizada a paróquia. Ao final de cada dia, os missionários participavam da Eucaristia, refletiam sobre tudo que realizaram e escreviam uma página do Diário de Missão.

Para os jovens alunos de escolas salesianas, essa inserção em uma realidade diferente trouxe novas perspectivas, como bem exemplifica o depoimento de Taciara Laise Argilar, aluna do Colégio Dom Bosco de Santa Rosa, RS: “A ação missionária proporcionou para mim a experiência de um novo modo de vida, de desapego dos hábitos que nos tornam alienados a uma rotina que acaba por nos fazer cada vez mais egocêntricos. A missão me fez perceber o quanto somos fortes e, ao mesmo tempo, o quanto somos vulneráveis. Vim em gesto de doação, mas sinto que ganhei muito mais do que eu poderia dar”, finaliza. 

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Friday, 17 August 2012 06:15

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.