A comunidade salesiana de Valparaíso, no Chile, está empenhada em diversas atividades para dar apoio às famílias, sobretudo às crianças, que estão sofrendo as consequências de um incêndio que se alastrou pelas colinas de Valparaíso, no último dia 14 de fevereiro. O incêndio atingiu cerca 300 casas, deixou mais de mil pessoas feridas e outras mil desabrigadas.   No dia 18 de fevereiro, quatro dias após incêndio, a Fundação Dom Bosco, seção de Valparaíso, em colaboração com a Pastoral Juvenil da Paróquia e da Escola, ambas salesianas, organizou e animou a colônia “Vila Feliz – Emergência 14F”, com o intuito de acolher cerca de 50 crianças de famílias atingidas com o incêndio.   As atividades recreativas, educativas e também o serviço de alimentação iniciaram no dia seguinte, 19 de fevereiro, e continuaram nos ambientes salesianos por uma semana, até 25 de fevereiro. Todos os dias as crianças receberam  café da manhã, almoço e uma merenda, todas as refeições preparadas pelo grupo “Mamãe Margarida”, da paróquia. Cerca de 65 jovens voluntários auxiliaram  nas atividades recreativas como visitas guiadas, projeção de filmes, espetáculos, oficinas de mágicas e ilusionismo.   Graças ao auxílio da Fundação Dom Bosco, de Santiago, da comunidade salesiana da Capital e de outras instituições e empresas – como Lápiz López que enviou ‘kits’ de material escolar para 150 alunos, foi possível coler equipamentos escolares e “gulodices” para muitas crianças. No dia 23 de fevereiro, depois da celebração Eucarística, muitos voluntários visitaram diversas localidades para proporcionar atividades de recreação às famílias atingidas.   Todo esse esforço, entretanto, não foi sustentado apenas pela comunidade salesiana, mas também pela solidariedade de centenas de pessoas, silenciosamente, que enviaram auxílios à sede da Paróquia ou confiaram aos voluntários de movimentos eclesiais e paróquias de toda a diocese de Valparaíso.   InfoANS
Publicado em Internacionais
Terceiro dia de Congregações Gerais para os membros do Colégio Cardinalício, na Sala Nova do Sínodo, no Vaticano. Assim como na terça, a Congregação desta quarta foi realizada somente pela manhã.   No total, 33 cardeais fizeram pronunciamentos nas Congregações, entre eles, o arcebispo de São Paulo, cardeal Dom Odilo Scherer. Vários temas foram tratados, como atividade da Santa Sé e dos diferentes dicastérios e, sobretudo, a exigência da nova evangelização. Os cardeais se interrogam sobre como anunciar o Evangelho de modo positivo e propositivo.   Na tarde desta quarta-feira, dia 06 de março, às 17h, (horário de Roma), por iniciativa dos cardeais, haverá um momento de oração pela Igreja no Altar da Cátedra da Basílica Vaticana. A celebração terá início com a oração do Terço e dos mistérios gloriosos em latim e italiano; seguirá a exposição do Santíssimo e um breve tempo de adoração, depois as Vésperas. Por fim, a bênção eucarística será concedida pelo arcipreste da basílica, cardeal, Angelo Comastri.   O momento, realizado às 13h pelo horário de Brasília, será transmitido ao vivo pela internet no link: http://www.radiovaticana.va/player/index_agenda.asp   De acordo com o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, ainda não há uma data definida para o início do Conclave.   CNBB
Publicado em Internacionais
Na manhã do dia 9 de março, o reitor-mor dos salesianos, padre Pascual Chávez Villanueva, os membros do Conselho Geral, padre Natali Vitali, regional Cone Sul, padre Esteban Ortiz, regional Interamerica e os demais inspetores do continente americano, entre eles, o inspetor da Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora, padre Edson Donizetti Castilho, participarão de uma concelebração Eucarística no Santuário Nacional de Aparecida, na cidade de Aparecida, no estado de São Paulo.   Os religiosos encerram, nesse dia, o retiro espiritual que teve início no dia 4 de março e reuniu os padres inspetores de todas as presenças salesianas da América. A celebração está marcada para às 10h30 e será presidida por Dom Tarcísio Scaramussa, SDB, com homília do padre Pascual Chávez. Todos os membros da Família Salesiana são convidados para a celebração, bem como toda a comunidade católica.   No mesmo final de semana será realizado, também em Aparecida, o Congresso Provincial dos Salesianos Cooperadores, o que contribuirá para a concelebração ter uma característica ainda mais salesiana.   Inspetoria Salesiana de São Paulo  
Publicado em Nacionais
No ano do centenário da presença salesiana na Hungria e por ocasião do 60° aniversário do martírio do salesiano irmão, servo de Deus Estêvão Sándor, os salesianos da inspetoria húngara e da “Direção Geral do Museu do Terror”, de Budapeste, organizaram, no dia 22 de fevereiro, um simpósio e um dia comemorativo da figura do salesiano mártir, cuja causa de beatificação segue adiantada.   O evento foi realizado no Museu do Terror de Budapeste, capital da Hungria, onde a Polícia Secreta torturou por anos milhares de pessoas, entre as quais, o cardeal József Mindszenty e o salesiano, Estêvão Sándor.   A diretora do Museu, Maria Schmidt abriu o simpósio na presença do núncio apostólico da Hungria, Dom Alberto Bottari de Castello, e de várias outras autoridades civis e eclesiásticas. Na ocasião, ela analisou com cuidado a perseguição dos sacerdotes e dos religiosos feita pelo regime comunista entre os anos de 1940-1960.   O postulador geral das Causas dos Santos da Família Salesiana, padre Pierluigi Cameroni, também discursou durante o evento percorrendo brevemente o caminho já trilhado pela causa de beatificação do salesiano mártir, convidando todos a rezarem para pedir-lhe a sua valiosa intercessão.   Ainda no evento foi apresentado um filme sobre a vida de Estêvão Sándor, dirigido por Andras Der.   InfoANS
Publicado em Internacionais
A vigária geral do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), irmã Emília Musatti, anunciou oficialmente, por meio de uma carta, a todos aqueles que integram o Instituto das FMA, que a Festa da Gratidão mundial da madre Yvonne Reungoat, superiora geral do Instituto das FMA, será celebrada neste ano em Chennai, na Índia. A festa será realizada no próximo dia 26 de abril na Inspetoria São Tomé Apóstolo (INM).   A notícia foi recebida com alegria pelas irmãs que vivem na Índia, ainda mais pela escolha coincidir com a celebração dos 90 de presença das FMA em território indiano. “Foi uma surpresa para nós, FMA da Índia: nós o acolhemos como o mais belo presente para celebrar os 90 anos de nossa presença em território indiano. Com o coração cheio de alegria e de gratidão pelo privilégio de viver uma festa tão importante”.   O lema proposto para a festa de gratidão é “Juntos na fé rumo à plenitude de vida”, um convite para visitar e contar a história da própria fé, descobrindo em cada experiência vivida a misericórdia e a fidelidade irrevogável de Deus, para chegar com maior plenitude a testemunhar e celebrar o dom da fé.   O dossiê, que contém a explicação completa da Festa da Gratidão, está disponível no site do Instituto das FMA. Por meio dele  cada inspetoria poderá se aprofundar nos temas, condividi-lo e participar ativamente da festa.   A Festa da Gratidão é de interesse de todo o Instituto das FMA; tanto na preparação como na renovação do agradecimento. O reconhecimento é uma atitude tipicamente salesiana, exprime o espírito de família, sobretudo quando manifesta gratidão para com o próximo e humaniza mais o cotidiano.   Filhas de Maria Auxiliadora  
Publicado em Internacionais
  Há várias semanas a República Centro-Africana está na iminência de uma guerra civil que vê contrapostos as forças governativas fiéis ao presidente François Bozizé e os rebeldes da coalizão Seleka – formada por três grupos armados que assinaram entre 2007 e 2011 acordos de paz com o governo de Bozizé. Dom Albert Vanbuel, bispo salesiano de Bandoro, única autoridade que continua na cidade, conta a situação de instabilidade que se criou.   A atual crise de estabilidade político-militar, explica o bispo salesiano, vem de longe: “Em 1993 houve as primeiras eleições democráticas. Desde 1996 o país viveu uma série de amotinações e golpes de estado. Mas logo se deram as primeiras reações, que com frequência foram reações contra a extrema pobreza e o regresso socioeconômico”.   “Os conflitos seguintes são em primeiro lugar uma reação tanto ao regime, organizado sobre base étnica, quanto à corrupção. A insegurança é consequência direta, e aumenta cada vez mais; e o povo não pode trabalhar nos campos – a agricultura é a ocupação principal da população, sendo que não há quase indústria, depois de tantas guerras e saques”.   “Em 2008 houve a alegria de um acordo de paz com os grupos rebeldes. Mas a atuação desse acordo se delonga. Só em 2012 iniciou a fase ‘desarmamento, desmobilização e reintegração’ dos rebeldes. Em Bandoro foi uma alegria ver que 1700 pessoas voltaram a ser cidadãos. Mas os outros dois passos do programa nunca se iniciaram”.   “Assim depois de alguns meses houve a ameaça de marchar contra Bangui – a Capital. Durante a Missa de Natal um grupo de rebeldes proveniente do norte ocupou Bandoro, sem encontrar resistências. As autoridades e os soldados leais já tinham deixado a cidade. Os rebeldes cercaram os edifícios institucionais, as autoridades e cada um dos funcionários, sem molestar a população. Infelizmente algumas pessoas saquearam: os edifícios, os arquivos e um depósito de combustível, causando mortos e feridos por queimaduras. Toda as ONGs, menos a Cruz Vermelha, desapareceram; também o pessoal médico. A religiosa que dirige o nosso dispensário está por demais ocupada em ajudar”.   “Depois de alguns dias os rebeldes puseram-se em marcha para Bangui e deixaram a cidade livre, mas agora existe o perigo das ‘pequenas gangues’ que se aproveitam para roubar e executar vinganças pessoais. Desde o Natal todas as noites, o nosso Centro de Pastoral se enche de refugiados e de algumas famílias que aí ficam permanentemente".   “Fizemos grandes celebrações no Natal, para a festa da Sagrada Família e para o Início do ano, para expressar o nosso desejo de paz e dar serenidade aos cristãos que se sentem abandonados. No dia 31 de dezembro, organizamos uma marcha pela paz com uma Missa de fim de ano”.   “Atualmente tudo está parado. Não há nenhuma autoridade. Os arquivos saqueados. As ONGs desaparecidas. Qual o futuro para o nosso pobre país? A pobreza faz com que se saqueie quanto já não levaram os rebeldes. A escola não pode reiniciar; os postos de saúde, vazios; e o povo não vai aos campos. O único apoio vem da Igreja que consola o povo, mas do ponto de vista econômico pouco pode ajudar. A Caritas estava fazendo um bom trabalho, mas agora não dispõe de ONGs com que iniciar os projetos”.   Sabendo da situação, o Reitor-Mor, Pe. Pascual Chávez, enviou a Dom Vanbuel uma mensagem de solidariedade e de proximidade na oração. E o Pe. Manuel Jiménez, Inspetor da África Tropical Equatorial garantiu que todos os salesianos presentes no país estão bem e puderam celebrar as festividades natalinas junto com os seus fiéis. À espera de uma solução entre governo e rebeldes, a situação nas cidades continua serena, embora a presença de militares seja muito difusa.
Publicado em Internacionais
“Geração NET” é o título do 12º livro de autoria do padre Gildásio Mendes, sdb - delegado inspetorial de comunicação e diretor da Faculdade e Colégio Santa Teresa, de Corumbá, MS. A obra, disponível agora em versão digital no site da livraria Saraiva, está na lista dos 50 primeiros títulos que a Saraiva passou a oferecer pela  internet.   Lançado no primeiro semestre deste ano, o livro se propõe a lançar luzes sobre o nosso entendimento quanto ao universo da denominada geração net, que nasceu no contexto da cultura midiática e foge dos parâmetros que imprimimos às nossas análises”. Gildásio aponta que o objetivo da obra é estabelecer, entre os membros das diferentes gerações, “uma relação interativa que abarque a troca de experiências, possibilitando a apreciação mútua e o crescimento, tanto dos relacionamentos quanto da espiritualidade e do campo profissional”. Editada pelas Edições Paulinas, a publicação pode ser adquirida clicando aqui.   Padre Gildásio também é autor de uma série de artigos sobre a Geração NET, publicados no Boletim Salesiano. Para ter acesso aos artigos clique nos links abaixos:   Pais e filhos descobrem juntos o continente digital O poder inovador e empreendedor das novas gerações O estilo de vida da geração internet As novas comunidades dos membros da geração internet Novos pátios: Ensinar e aprender na era da internet Caminhar junto com a geração internet
Publicado em Nacionais
Alunos do Instituto Maria Auxiliadora de Porto Alegre, RS, participaram de uma ação solidária de conscientização sobre a AIDS, em parceria com a Casa Fonte Colombo. Participaram da atividade a aluna Maria Eduarda Prates, 7º ano, e o aluno João Vitor Ribeiro, 6º ano, com o acompanhamento da coordenação de pastoral da escola e de postulantes.   A ação comunitária foi reaizada na Vila Farrapos, onde foram visitadas cerca de 400 casas. As famílias foram informadas sobre a realidade da AIDS e orientadas a procurar uma unidade de saúde para a realização do teste de HIV. O objetivo é contribuir para que “a saúde se difunda pela terra”, seguindo assim o lema que norteia a Campanha da Fraternidade 2012. Após a participação, os alunos compartilharam a experiência com os colegas durante os bons-dias, incentivando os jovens à solidariedade. 
Publicado em Nacionais
  Ir. Valéria Timoteo, da Inspetoria Santa Catarina de Sena, de São Paulo - SP, está há dois anos e meio em missão no Norte do Haiti. Em viagem recente ao Brasil, Ir. Valeria preocupou-se em visitar o máximo de presenças salesianas, em São Paulo, para divulgar a situação vivenciada no Haiti, que ainda sofre as consequências do violento terremoto de 2010 e pedir ajuda.    Segundo Ir. Valéria, o trabalho de reconstrução do país é ainda lento e necessita de todo o empenho daqueles que possam doar um pouco de si para que aquele povo venha a ter uma vida digna. Uma das propostas apresentadas pela irmã, no papel de Delegada dos Salesianos Cooperadores, é a construção de um Centro Juvenil para alfabetização e recreação.  A  entrevista da Ir. Valéria que se segue foi concedida ao salesiano cooperador Carlos Minozzi, da Paróquia Sta. Terezinha, na Zona Norte de São Paulo. Em seu relato, a irmã salesiana pede ajuda para esse projeto, que é um pátio salesiano para a comunidade onde a escola está instalada, a cerca 400 km de Porto Príncipe, Capital do Haiti.   Ir. Valéria, conte-nos por que a senhora foi para o Haiti. “Quando aconteceu o terremoto, em 2010, eu pedi à madre geral e ela, ao conversar com as outras irmãs responsáveis, viram que eu poderia ir como voluntária. Em pouco mais de um mês parti para o Haiti e lá estou até hoje, há dois anos e meio”.   Depois desse tempo, como está a população do Haiti? “Muitas coisas começaram a mudar, principalmente com o novo presidente da república, Michel Martelly , uma pessoa jovem, 51 anos, ex-cantor de rock, e se vê que tem uma postura diferente. Estamos acreditando nele porque um artista sempre tem um coração mais sensível. Ele já conseguiu fazer algumas coisas, por exemplo, recuperar o aeroporto, que estava todo danificado. A reforma já terminou, está moderno e bem aparelhado, pois ele  é a ‘porta de entrada do país’...as estradas estão sendo recapeadas, hospitais reconstruídos, enfim. Ele também já começou a trabalhar a melhora do ensino público, com recursos provenientes da telefonia e outros impostos. Uma parte desse dinheiro é diretamente aplicada à escola pública. As escolas privadas foram requisitadas para receber os alunos que não têm vaga nas escolas públicas, já que o país não dispõe de escolas suficientes. Além dos alunos que frequentam a nossa escola, que são cerca de 800, nós ganhamos  mais 300, que não teriam nenhuma chance de poder estudar. Nem a metade das famílias com  crianças matriculadas em nossas escolas consegue pagar pelo ensino, por causa da situação do país como um todo”. Tem chegado ajuda internacional lá?  “Eu posso falar da ajuda que recebemos da congregação. As escolas estão sendo reconstruídas, as coisas estão acontecendo. De outras partes a gente não sabe, mas ouvimos muitas histórias, muita coisa que não chegou..., que se perdeu no caminho” Hoje qual é o maior problema daquele povo? “O cólera, creio, tenha sido um impacto muito grande, pois vimos pessoas morrerem sem saberem que doença tinham. Para podermos entender aquela realidade, logo após o terremoto, na temporada das chuvas, de maio a novembro, é tempo dos tufões e furacões. Coma ausência de esgotos e saneamento básico, o vírus do cólera se alastrou rapidamente e as pessoas foram contaminadas pela água que beberam. Uma doença misteriosa para eles, que não conheciam os sintomas do cólera ! Foi muito triste.” E como é o projeto dos salesianos na região onde a senhora trabalha? “Pretendemos construir um ambiente salesiano, com salas de alfabetização e outras para jogos e convivência para as crianças e jovens. É um projeto dos cooperadores salesianos, que já conseguiram adquirir um terreno e buscam agora meios de construir o Centro Juvenil, mas as dificuldades são imensas. A mais recente tempestade tropical, por exemplo, interrompeu a comunicação de telefonia local”.  Esta escola está muito distante de Porto Príncipe, a Capital do Haiti?  “De avião, estamos a 25 minutos, mas por estrada, o caminho é feito em até oito horas. Padre Camilo, da Paróquia Sta. Teresinha, se prontificou a fazer uma intermediação para uma coleta de doações para esse trabalho, não? “Sim, quem quiser fazer doações em dinheiro, pode usar a conta bancária da paróquia, que depois transfere para a conta da Wester Union, a transferência de dinheiro mundial, para a obra onde trabalhamos”   Se não for ajuda em dinheiro, o que mais poderíamos fazer?    “O voluntariado é aberto, todo aquele que sentir o desejo de fazer alguma coisa será bem-vindo. Precisamos de técnicos agrícolas, orquidófilos, apicultores, pessoas habilitadas para tarefas básicas, para melhorar as técnicas... quem possa trabalhar com as crianças, ensinar capoeira, coisas da salesianidade sempre são importantes nesse momento.”   Para ajudar a erguer essa obra financeiramente, a conta que a Paróquia Sta. Terezinha disponibiliza para doações é - Bradesco (237) ag. 2017 – conta 280-1 Mitra Arquidiocesana de São Paulo - Paróquia Sta. Teresinha – CNPJ 63.089.825/0219-07    
Publicado em Missões
Nos dias 01 e 02 de setembro a Inspetoria Salesiana São Pio X, do Sul do Brasil, realizou o 1º Congresso Inspetorial de Ex-alunos/as de Dom Bosco, no Colégio Salesiano Itajaí.  O evento reuniu cerca de 60  ex-alunos dos três estados do Sul, a maioria já com uma caminhada no movimento e com participação nas UNIÕES LOCAIS.   O tema do congresso foi "Ex-aluno: identidade e missão". Contou com três palestras. Dr. Justino Girardi, ex-aluno do Colégio São Paulo de Ascurra, falou sobre o  ex-aluno como profissional na transformação da sociedade. Dr. Sérgio Monello, ex-aluno de São Paulo, tratou do tema do ex-aluno na perspectiva da congregação salesiana.   No domingo foi a vez de P. Arcangelo Deretti trabalhar o ex-aluno como leigo na igreja. O último momento do congresso foi a apresentação do P. Décio Bona e Cristian Tesser sobre a caminhada do Movimento dos Ex-alunos na Inspetoria, a partir de 2001, com a nova orientação do Movimento exalunal e a perspectiva de sua consolidação futura.   O evento contou ainda com a celebração eucarística e jantar oferecidos pelo Parque Dom Bosco, Obra Social salesiana de Itajaí, e um city tour.    Além dos conteúdos das palestras e seus respectivos trabalhos em grupo, ponto marcante foi o entusiasmo e testemunho dos jovens ex-alunos presentes.  Na cerimônia de encerramento, o P. Décio, delegado inspetorial do ex-alunos/as, apresentou oficialmente aos presentes, a  1ª Comissão dos JEXS – Jovens Ex-alunos/as Salesianos, criada na Inspetoria S. Pio X, concretizando assim esta dimensão do Movimento no Sul.   Será produzido um DVD com as palestras, para que cada UNIÂO de ex-alunos possa refletir localmente sobre os temas,  A Comissão Organizadora agradece salesianamente a todos os envolvidos.    
Publicado em Nacionais
Página 17 de 18
A comunidade salesiana de Valparaíso, no Chile, está empenhada em diversas atividades para dar apoio às famílias, sobretudo às crianças, que estão sofrendo as consequências de um incêndio que se alastrou pelas colinas de Valparaíso, no último dia 14 de fevereiro. O incêndio atingiu cerca 300 casas, deixou mais de mil pessoas feridas e outras mil desabrigadas.   No dia 18 de fevereiro, quatro dias após incêndio, a Fundação Dom Bosco, seção de Valparaíso, em colaboração com a Pastoral Juvenil da Paróquia e da Escola, ambas salesianas, organizou e animou a colônia “Vila Feliz – Emergência 14F”, com o intuito de acolher cerca de 50 crianças de famílias atingidas com o incêndio.   As atividades recreativas, educativas e também o serviço de alimentação iniciaram no dia seguinte, 19 de fevereiro, e continuaram nos ambientes salesianos por uma semana, até 25 de fevereiro. Todos os dias as crianças receberam  café da manhã, almoço e uma merenda, todas as refeições preparadas pelo grupo “Mamãe Margarida”, da paróquia. Cerca de 65 jovens voluntários auxiliaram  nas atividades recreativas como visitas guiadas, projeção de filmes, espetáculos, oficinas de mágicas e ilusionismo.   Graças ao auxílio da Fundação Dom Bosco, de Santiago, da comunidade salesiana da Capital e de outras instituições e empresas – como Lápiz López que enviou ‘kits’ de material escolar para 150 alunos, foi possível coler equipamentos escolares e “gulodices” para muitas crianças. No dia 23 de fevereiro, depois da celebração Eucarística, muitos voluntários visitaram diversas localidades para proporcionar atividades de recreação às famílias atingidas.   Todo esse esforço, entretanto, não foi sustentado apenas pela comunidade salesiana, mas também pela solidariedade de centenas de pessoas, silenciosamente, que enviaram auxílios à sede da Paróquia ou confiaram aos voluntários de movimentos eclesiais e paróquias de toda a diocese de Valparaíso.   InfoANS
Publicado em Internacionais
Terceiro dia de Congregações Gerais para os membros do Colégio Cardinalício, na Sala Nova do Sínodo, no Vaticano. Assim como na terça, a Congregação desta quarta foi realizada somente pela manhã.   No total, 33 cardeais fizeram pronunciamentos nas Congregações, entre eles, o arcebispo de São Paulo, cardeal Dom Odilo Scherer. Vários temas foram tratados, como atividade da Santa Sé e dos diferentes dicastérios e, sobretudo, a exigência da nova evangelização. Os cardeais se interrogam sobre como anunciar o Evangelho de modo positivo e propositivo.   Na tarde desta quarta-feira, dia 06 de março, às 17h, (horário de Roma), por iniciativa dos cardeais, haverá um momento de oração pela Igreja no Altar da Cátedra da Basílica Vaticana. A celebração terá início com a oração do Terço e dos mistérios gloriosos em latim e italiano; seguirá a exposição do Santíssimo e um breve tempo de adoração, depois as Vésperas. Por fim, a bênção eucarística será concedida pelo arcipreste da basílica, cardeal, Angelo Comastri.   O momento, realizado às 13h pelo horário de Brasília, será transmitido ao vivo pela internet no link: http://www.radiovaticana.va/player/index_agenda.asp   De acordo com o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, ainda não há uma data definida para o início do Conclave.   CNBB
Publicado em Internacionais
Na manhã do dia 9 de março, o reitor-mor dos salesianos, padre Pascual Chávez Villanueva, os membros do Conselho Geral, padre Natali Vitali, regional Cone Sul, padre Esteban Ortiz, regional Interamerica e os demais inspetores do continente americano, entre eles, o inspetor da Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora, padre Edson Donizetti Castilho, participarão de uma concelebração Eucarística no Santuário Nacional de Aparecida, na cidade de Aparecida, no estado de São Paulo.   Os religiosos encerram, nesse dia, o retiro espiritual que teve início no dia 4 de março e reuniu os padres inspetores de todas as presenças salesianas da América. A celebração está marcada para às 10h30 e será presidida por Dom Tarcísio Scaramussa, SDB, com homília do padre Pascual Chávez. Todos os membros da Família Salesiana são convidados para a celebração, bem como toda a comunidade católica.   No mesmo final de semana será realizado, também em Aparecida, o Congresso Provincial dos Salesianos Cooperadores, o que contribuirá para a concelebração ter uma característica ainda mais salesiana.   Inspetoria Salesiana de São Paulo  
Publicado em Nacionais
No ano do centenário da presença salesiana na Hungria e por ocasião do 60° aniversário do martírio do salesiano irmão, servo de Deus Estêvão Sándor, os salesianos da inspetoria húngara e da “Direção Geral do Museu do Terror”, de Budapeste, organizaram, no dia 22 de fevereiro, um simpósio e um dia comemorativo da figura do salesiano mártir, cuja causa de beatificação segue adiantada.   O evento foi realizado no Museu do Terror de Budapeste, capital da Hungria, onde a Polícia Secreta torturou por anos milhares de pessoas, entre as quais, o cardeal József Mindszenty e o salesiano, Estêvão Sándor.   A diretora do Museu, Maria Schmidt abriu o simpósio na presença do núncio apostólico da Hungria, Dom Alberto Bottari de Castello, e de várias outras autoridades civis e eclesiásticas. Na ocasião, ela analisou com cuidado a perseguição dos sacerdotes e dos religiosos feita pelo regime comunista entre os anos de 1940-1960.   O postulador geral das Causas dos Santos da Família Salesiana, padre Pierluigi Cameroni, também discursou durante o evento percorrendo brevemente o caminho já trilhado pela causa de beatificação do salesiano mártir, convidando todos a rezarem para pedir-lhe a sua valiosa intercessão.   Ainda no evento foi apresentado um filme sobre a vida de Estêvão Sándor, dirigido por Andras Der.   InfoANS
Publicado em Internacionais
A vigária geral do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), irmã Emília Musatti, anunciou oficialmente, por meio de uma carta, a todos aqueles que integram o Instituto das FMA, que a Festa da Gratidão mundial da madre Yvonne Reungoat, superiora geral do Instituto das FMA, será celebrada neste ano em Chennai, na Índia. A festa será realizada no próximo dia 26 de abril na Inspetoria São Tomé Apóstolo (INM).   A notícia foi recebida com alegria pelas irmãs que vivem na Índia, ainda mais pela escolha coincidir com a celebração dos 90 de presença das FMA em território indiano. “Foi uma surpresa para nós, FMA da Índia: nós o acolhemos como o mais belo presente para celebrar os 90 anos de nossa presença em território indiano. Com o coração cheio de alegria e de gratidão pelo privilégio de viver uma festa tão importante”.   O lema proposto para a festa de gratidão é “Juntos na fé rumo à plenitude de vida”, um convite para visitar e contar a história da própria fé, descobrindo em cada experiência vivida a misericórdia e a fidelidade irrevogável de Deus, para chegar com maior plenitude a testemunhar e celebrar o dom da fé.   O dossiê, que contém a explicação completa da Festa da Gratidão, está disponível no site do Instituto das FMA. Por meio dele  cada inspetoria poderá se aprofundar nos temas, condividi-lo e participar ativamente da festa.   A Festa da Gratidão é de interesse de todo o Instituto das FMA; tanto na preparação como na renovação do agradecimento. O reconhecimento é uma atitude tipicamente salesiana, exprime o espírito de família, sobretudo quando manifesta gratidão para com o próximo e humaniza mais o cotidiano.   Filhas de Maria Auxiliadora  
Publicado em Internacionais
  Há várias semanas a República Centro-Africana está na iminência de uma guerra civil que vê contrapostos as forças governativas fiéis ao presidente François Bozizé e os rebeldes da coalizão Seleka – formada por três grupos armados que assinaram entre 2007 e 2011 acordos de paz com o governo de Bozizé. Dom Albert Vanbuel, bispo salesiano de Bandoro, única autoridade que continua na cidade, conta a situação de instabilidade que se criou.   A atual crise de estabilidade político-militar, explica o bispo salesiano, vem de longe: “Em 1993 houve as primeiras eleições democráticas. Desde 1996 o país viveu uma série de amotinações e golpes de estado. Mas logo se deram as primeiras reações, que com frequência foram reações contra a extrema pobreza e o regresso socioeconômico”.   “Os conflitos seguintes são em primeiro lugar uma reação tanto ao regime, organizado sobre base étnica, quanto à corrupção. A insegurança é consequência direta, e aumenta cada vez mais; e o povo não pode trabalhar nos campos – a agricultura é a ocupação principal da população, sendo que não há quase indústria, depois de tantas guerras e saques”.   “Em 2008 houve a alegria de um acordo de paz com os grupos rebeldes. Mas a atuação desse acordo se delonga. Só em 2012 iniciou a fase ‘desarmamento, desmobilização e reintegração’ dos rebeldes. Em Bandoro foi uma alegria ver que 1700 pessoas voltaram a ser cidadãos. Mas os outros dois passos do programa nunca se iniciaram”.   “Assim depois de alguns meses houve a ameaça de marchar contra Bangui – a Capital. Durante a Missa de Natal um grupo de rebeldes proveniente do norte ocupou Bandoro, sem encontrar resistências. As autoridades e os soldados leais já tinham deixado a cidade. Os rebeldes cercaram os edifícios institucionais, as autoridades e cada um dos funcionários, sem molestar a população. Infelizmente algumas pessoas saquearam: os edifícios, os arquivos e um depósito de combustível, causando mortos e feridos por queimaduras. Toda as ONGs, menos a Cruz Vermelha, desapareceram; também o pessoal médico. A religiosa que dirige o nosso dispensário está por demais ocupada em ajudar”.   “Depois de alguns dias os rebeldes puseram-se em marcha para Bangui e deixaram a cidade livre, mas agora existe o perigo das ‘pequenas gangues’ que se aproveitam para roubar e executar vinganças pessoais. Desde o Natal todas as noites, o nosso Centro de Pastoral se enche de refugiados e de algumas famílias que aí ficam permanentemente".   “Fizemos grandes celebrações no Natal, para a festa da Sagrada Família e para o Início do ano, para expressar o nosso desejo de paz e dar serenidade aos cristãos que se sentem abandonados. No dia 31 de dezembro, organizamos uma marcha pela paz com uma Missa de fim de ano”.   “Atualmente tudo está parado. Não há nenhuma autoridade. Os arquivos saqueados. As ONGs desaparecidas. Qual o futuro para o nosso pobre país? A pobreza faz com que se saqueie quanto já não levaram os rebeldes. A escola não pode reiniciar; os postos de saúde, vazios; e o povo não vai aos campos. O único apoio vem da Igreja que consola o povo, mas do ponto de vista econômico pouco pode ajudar. A Caritas estava fazendo um bom trabalho, mas agora não dispõe de ONGs com que iniciar os projetos”.   Sabendo da situação, o Reitor-Mor, Pe. Pascual Chávez, enviou a Dom Vanbuel uma mensagem de solidariedade e de proximidade na oração. E o Pe. Manuel Jiménez, Inspetor da África Tropical Equatorial garantiu que todos os salesianos presentes no país estão bem e puderam celebrar as festividades natalinas junto com os seus fiéis. À espera de uma solução entre governo e rebeldes, a situação nas cidades continua serena, embora a presença de militares seja muito difusa.
Publicado em Internacionais
“Geração NET” é o título do 12º livro de autoria do padre Gildásio Mendes, sdb - delegado inspetorial de comunicação e diretor da Faculdade e Colégio Santa Teresa, de Corumbá, MS. A obra, disponível agora em versão digital no site da livraria Saraiva, está na lista dos 50 primeiros títulos que a Saraiva passou a oferecer pela  internet.   Lançado no primeiro semestre deste ano, o livro se propõe a lançar luzes sobre o nosso entendimento quanto ao universo da denominada geração net, que nasceu no contexto da cultura midiática e foge dos parâmetros que imprimimos às nossas análises”. Gildásio aponta que o objetivo da obra é estabelecer, entre os membros das diferentes gerações, “uma relação interativa que abarque a troca de experiências, possibilitando a apreciação mútua e o crescimento, tanto dos relacionamentos quanto da espiritualidade e do campo profissional”. Editada pelas Edições Paulinas, a publicação pode ser adquirida clicando aqui.   Padre Gildásio também é autor de uma série de artigos sobre a Geração NET, publicados no Boletim Salesiano. Para ter acesso aos artigos clique nos links abaixos:   Pais e filhos descobrem juntos o continente digital O poder inovador e empreendedor das novas gerações O estilo de vida da geração internet As novas comunidades dos membros da geração internet Novos pátios: Ensinar e aprender na era da internet Caminhar junto com a geração internet
Publicado em Nacionais
Alunos do Instituto Maria Auxiliadora de Porto Alegre, RS, participaram de uma ação solidária de conscientização sobre a AIDS, em parceria com a Casa Fonte Colombo. Participaram da atividade a aluna Maria Eduarda Prates, 7º ano, e o aluno João Vitor Ribeiro, 6º ano, com o acompanhamento da coordenação de pastoral da escola e de postulantes.   A ação comunitária foi reaizada na Vila Farrapos, onde foram visitadas cerca de 400 casas. As famílias foram informadas sobre a realidade da AIDS e orientadas a procurar uma unidade de saúde para a realização do teste de HIV. O objetivo é contribuir para que “a saúde se difunda pela terra”, seguindo assim o lema que norteia a Campanha da Fraternidade 2012. Após a participação, os alunos compartilharam a experiência com os colegas durante os bons-dias, incentivando os jovens à solidariedade. 
Publicado em Nacionais
  Ir. Valéria Timoteo, da Inspetoria Santa Catarina de Sena, de São Paulo - SP, está há dois anos e meio em missão no Norte do Haiti. Em viagem recente ao Brasil, Ir. Valeria preocupou-se em visitar o máximo de presenças salesianas, em São Paulo, para divulgar a situação vivenciada no Haiti, que ainda sofre as consequências do violento terremoto de 2010 e pedir ajuda.    Segundo Ir. Valéria, o trabalho de reconstrução do país é ainda lento e necessita de todo o empenho daqueles que possam doar um pouco de si para que aquele povo venha a ter uma vida digna. Uma das propostas apresentadas pela irmã, no papel de Delegada dos Salesianos Cooperadores, é a construção de um Centro Juvenil para alfabetização e recreação.  A  entrevista da Ir. Valéria que se segue foi concedida ao salesiano cooperador Carlos Minozzi, da Paróquia Sta. Terezinha, na Zona Norte de São Paulo. Em seu relato, a irmã salesiana pede ajuda para esse projeto, que é um pátio salesiano para a comunidade onde a escola está instalada, a cerca 400 km de Porto Príncipe, Capital do Haiti.   Ir. Valéria, conte-nos por que a senhora foi para o Haiti. “Quando aconteceu o terremoto, em 2010, eu pedi à madre geral e ela, ao conversar com as outras irmãs responsáveis, viram que eu poderia ir como voluntária. Em pouco mais de um mês parti para o Haiti e lá estou até hoje, há dois anos e meio”.   Depois desse tempo, como está a população do Haiti? “Muitas coisas começaram a mudar, principalmente com o novo presidente da república, Michel Martelly , uma pessoa jovem, 51 anos, ex-cantor de rock, e se vê que tem uma postura diferente. Estamos acreditando nele porque um artista sempre tem um coração mais sensível. Ele já conseguiu fazer algumas coisas, por exemplo, recuperar o aeroporto, que estava todo danificado. A reforma já terminou, está moderno e bem aparelhado, pois ele  é a ‘porta de entrada do país’...as estradas estão sendo recapeadas, hospitais reconstruídos, enfim. Ele também já começou a trabalhar a melhora do ensino público, com recursos provenientes da telefonia e outros impostos. Uma parte desse dinheiro é diretamente aplicada à escola pública. As escolas privadas foram requisitadas para receber os alunos que não têm vaga nas escolas públicas, já que o país não dispõe de escolas suficientes. Além dos alunos que frequentam a nossa escola, que são cerca de 800, nós ganhamos  mais 300, que não teriam nenhuma chance de poder estudar. Nem a metade das famílias com  crianças matriculadas em nossas escolas consegue pagar pelo ensino, por causa da situação do país como um todo”. Tem chegado ajuda internacional lá?  “Eu posso falar da ajuda que recebemos da congregação. As escolas estão sendo reconstruídas, as coisas estão acontecendo. De outras partes a gente não sabe, mas ouvimos muitas histórias, muita coisa que não chegou..., que se perdeu no caminho” Hoje qual é o maior problema daquele povo? “O cólera, creio, tenha sido um impacto muito grande, pois vimos pessoas morrerem sem saberem que doença tinham. Para podermos entender aquela realidade, logo após o terremoto, na temporada das chuvas, de maio a novembro, é tempo dos tufões e furacões. Coma ausência de esgotos e saneamento básico, o vírus do cólera se alastrou rapidamente e as pessoas foram contaminadas pela água que beberam. Uma doença misteriosa para eles, que não conheciam os sintomas do cólera ! Foi muito triste.” E como é o projeto dos salesianos na região onde a senhora trabalha? “Pretendemos construir um ambiente salesiano, com salas de alfabetização e outras para jogos e convivência para as crianças e jovens. É um projeto dos cooperadores salesianos, que já conseguiram adquirir um terreno e buscam agora meios de construir o Centro Juvenil, mas as dificuldades são imensas. A mais recente tempestade tropical, por exemplo, interrompeu a comunicação de telefonia local”.  Esta escola está muito distante de Porto Príncipe, a Capital do Haiti?  “De avião, estamos a 25 minutos, mas por estrada, o caminho é feito em até oito horas. Padre Camilo, da Paróquia Sta. Teresinha, se prontificou a fazer uma intermediação para uma coleta de doações para esse trabalho, não? “Sim, quem quiser fazer doações em dinheiro, pode usar a conta bancária da paróquia, que depois transfere para a conta da Wester Union, a transferência de dinheiro mundial, para a obra onde trabalhamos”   Se não for ajuda em dinheiro, o que mais poderíamos fazer?    “O voluntariado é aberto, todo aquele que sentir o desejo de fazer alguma coisa será bem-vindo. Precisamos de técnicos agrícolas, orquidófilos, apicultores, pessoas habilitadas para tarefas básicas, para melhorar as técnicas... quem possa trabalhar com as crianças, ensinar capoeira, coisas da salesianidade sempre são importantes nesse momento.”   Para ajudar a erguer essa obra financeiramente, a conta que a Paróquia Sta. Terezinha disponibiliza para doações é - Bradesco (237) ag. 2017 – conta 280-1 Mitra Arquidiocesana de São Paulo - Paróquia Sta. Teresinha – CNPJ 63.089.825/0219-07    
Publicado em Missões
Nos dias 01 e 02 de setembro a Inspetoria Salesiana São Pio X, do Sul do Brasil, realizou o 1º Congresso Inspetorial de Ex-alunos/as de Dom Bosco, no Colégio Salesiano Itajaí.  O evento reuniu cerca de 60  ex-alunos dos três estados do Sul, a maioria já com uma caminhada no movimento e com participação nas UNIÕES LOCAIS.   O tema do congresso foi "Ex-aluno: identidade e missão". Contou com três palestras. Dr. Justino Girardi, ex-aluno do Colégio São Paulo de Ascurra, falou sobre o  ex-aluno como profissional na transformação da sociedade. Dr. Sérgio Monello, ex-aluno de São Paulo, tratou do tema do ex-aluno na perspectiva da congregação salesiana.   No domingo foi a vez de P. Arcangelo Deretti trabalhar o ex-aluno como leigo na igreja. O último momento do congresso foi a apresentação do P. Décio Bona e Cristian Tesser sobre a caminhada do Movimento dos Ex-alunos na Inspetoria, a partir de 2001, com a nova orientação do Movimento exalunal e a perspectiva de sua consolidação futura.   O evento contou ainda com a celebração eucarística e jantar oferecidos pelo Parque Dom Bosco, Obra Social salesiana de Itajaí, e um city tour.    Além dos conteúdos das palestras e seus respectivos trabalhos em grupo, ponto marcante foi o entusiasmo e testemunho dos jovens ex-alunos presentes.  Na cerimônia de encerramento, o P. Décio, delegado inspetorial do ex-alunos/as, apresentou oficialmente aos presentes, a  1ª Comissão dos JEXS – Jovens Ex-alunos/as Salesianos, criada na Inspetoria S. Pio X, concretizando assim esta dimensão do Movimento no Sul.   Será produzido um DVD com as palestras, para que cada UNIÂO de ex-alunos possa refletir localmente sobre os temas,  A Comissão Organizadora agradece salesianamente a todos os envolvidos.    
Publicado em Nacionais
Página 17 de 18