A Pontifícia Comissão para a América Latina (CAL) anunciou a realização do “Encontro no Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe”, de 16 a 19 de novembro, com a finalidade de impulsionar a nova evangelização em todo o continente americano.
Published in Internacionais
  O II Congresso ANEC chegou ao fim no último sábado, 6 de julho, com saldo positivo. A última conferência conduzida pelo consultor educacional, Celso Antunes, emocionou a todos sob o tema “Os Desafios da Nova Escola Católica no Século XXI”. O palestrante abordou os quatro desafios básicos que os professores têm de aplicar no dia a dia em sala de aula. Dentre os quais foram enfatizados o trabalho das competências pedagógicas e os valores da escola católica.   O público foi levado à emoção com casos apresentados por Antunes, que além de mestre em Ciências Humanas e especialista em Inteligência e Cognição, também é grande contador e encantador de histórias. Uma de suas histórias foi o de uma professora de uma escola rural, que mesmo sem energia elétrica trabalhou a questão da internet com seus alunos. Segundo o educador, o professor é o principal agente de transformação da escola. Se não existe uma coordenação de direção que propicie suas condições de trabalho ele ficará, de certa forma, amarrado. Ele tem uma atuação criativa. Porém essa criatividade se diferencia da improvisação em sala.   Os Fóruns, Oficinas, Comunicações científicas, grupos de trabalho e sessões de pôsteres propiciaram debates de temas educacionais e institucionais a partir da construção de um conjunto de referências que mostraram que sim, uma nova escola é possível.   A programação do Congresso foi encerrada com a assembleia geral, destacando o resultado final com a carta de Goiânia, que teve resultado com conclusões inéditas, resultado da reflexão de grupos de trabalho. Para Wolmir Amado, presidente do conselho superior da ANEC, é o momento dos educadores católicos mostrarem a força da educação católica com mais ênfase ao governo, ao país, e às políticas de educação. Sobre o Congresso, enfatizou que o evento foi um conjunto de alegria e gratidão em reunir um grande número de pessoas. “É uma alegria termos sediado o Congresso em Goiânia, ele possibilitou a troca de experiências e palestras de qualidade”, disse Wolmir.   Padre José Marinone, SDB, diretor presidente da ANEC, acredita que o evento alcançou suas metas, destacando que o ponto fundamental e desafiador do evento foi assumir que uma nova escola é possível. “O congresso chamou a atenção pela qualidade das palestras, dos palestrantes e educadores que apresentaram e partilharam suas experiências e conhecimento. O tema ‘Uma Outra Escola É Possível’ não é apenas instigante, desafiador e comprometedor. Não é simplesmente dizer que é possível uma nova escola. Uma nova escola é possível mudando a nossa mentalidade, mudando nosso fazer pedagógico, assumindo a ideia que realmente não se constrói uma escola hoje sem ter como ponto fundamental a formação integral do ser humano. Isso exige a busca da vivência de novos valores,  conceitos e realidades. Por outro lado, por sermos educadores católicos necessitamos -  como diz o documento de Aparecida -  não perder de vista, que  toda a educação católica deve levar o educando para a pessoa de Jesus Cristo”, declarou padre Marinone.   Educadores, gestores, pesquisadores e acadêmicos deixaram o II Congresso Nacional de Educação Católica, no Centro de Convenções de Goiânia, com o sentimento de saudade e, ao mesmo tempo, de alegria por terem vivenciado experiências didáticas ao longo de quatro dias. A discussão principal ‘Uma nova escola é possível’ levou os participantes a analisarem as potencialidades e possibilidades de construção de um novo modelo educacional.   O III Congresso Nacional de Educação Católica, a ser realizado em 2015, será sediado em Curitiba, no estado do Paraná. O evento contará com o apoio da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR. O III Congresso abordará a temática “Carisma, Conhecimento e Competências: Desafios e Oportunidades para a Educação católica nas Culturas Contemporâneas".   ANEC
Published in Educação
  Nos dias dos atos centrais da Jornada Mundial da Juventude, a prefeitura de Rio de Janeiro deverá decretar feriado. Em coletiva à imprensa, o prefeito da cidade, Eduardo Paes, anunciou que o feriado começará na terça-feira, dia 23 de julho, às 16h. Na ocasião, haverá a missa de abertura da Jornada com o arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta. A proposta ainda vai seguir para aprovação da Câmara de Vereadores. A expectativa da prefeitura é receber 1,5 milhão de pessoas durante a Jornada.   O feriado será integral nos dias 25 e 26, quinta e sexta-feira, por causa da presença do papa Francisco na Praia de Copacabana. Na segunda-feira após a Jornada, dia 29 de julho, será feriado até às 12h, semelhante à quarta-feira de cinzas. O objetivo é facilitar a saída dos ônibus de peregrinos da cidade. Os eventos sem relação com as atividades da Jornada não serão autorizados pela prefeitura.   Segundo o prefeito, algumas atividades funcionarão normalmente para que haja infraestrutura para os turistas. A proposta exclui as atividades de comércio de rua, bares, centros comerciais, shopping centers, galerias, estabelecimentos culturais e pontos turísticos, além de alguns órgãos da prefeitura.   Eduardo Paes destacou que é preciso um esquema especial pela importância do evento. "Sob o ponto de vista de quantidade de pessoas, deslocamento, mobilidade, concentração de pessoas, esse evento tem uma dimensão maior que a Copa do Mundo e a própria olimpíada", destacou. Ele disse ainda que o objetivo é mostrar a hospitalidade do Rio de Janeiro. "Queremos mostrar a imagem do Rio de Janeiro acolhedor, que trata bem seus visitantes e que está muito feliz com a visita do papa Francisco", disse.   Paes disse não acreditar que acontecerão problemas porque o evento é pacífico. "O espírito desse encontro é muito pacífico. Todos sabem da importância de sua participação".   Esquema de mobilidade   As propostas da prefeitura incluem ainda a proibição de circulação de ônibus fretado entre os dias 19 e 30 de julho. Eles passarão por triagem antes de entrar na Capital. Os pontos de parada serão no terreno da Canção Nova, em Cachoeira Paulista, no Interior de São Paulo, em Casimiro de Abreu e Itaipava, ambas no Interior do Rio de Janeiro.   Depois, serão adesivados e estacionados em locais específicos. Os bolsões estão localizados em Paciência e Recreio dos Bandeirantes. Os coletivos só poderão ser retirados para a viagem de volta.   Na terça-feira, dia 23, a missa com Dom Orani terá um esquema de trânsito semelhante a grandes shows em Copacabana. Nos atos com o papa, nos dias 25 e 26, o esquema será o mesmo do Réveillon. De acordo com o prefeito, a frota de transporte público convencional será suficiente para conter a demanda. Haverá, no entanto, algumas mudanças de rota de ônibus para concentrar o fluxo da população para Copacabana e depois para Guaratiba.   Em Guaratiba, para a vigília do sábado e para a missa de envio no domingo, os peregrinos precisarão caminhar por 13 quilômetros. As rotas partem de Santa Cruz (Estrada da Pedra), Campo Grande (Estrada do Mato Alto) e Recreio (Avenida das Américas/Avenida Dom João VI). A chegada aos locais será via transporte público com vias de ônibus e BRT.   JMJ Rio2013
Published in Nacionais
A Equipe Mirim de Futsal do Colégio Salesiano Dom Bosco (Paralela), em Salvador, BA, sagrou-se campeã da 1ª edição do Futcup Salvador depois de vencer o time do Instituto Social da Bahia em uma partida realizada no dia 14 de novembro, no ginásio do Liceu Salesiano (Nazaré). O evento é o maior torneio intercolegial de futsal do Brasil e realiza-se também nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Já na categoria Infantil o colégio salesiano ficou em terceiro lugar depois de derrotar a equipe do Apoio pelo placar de 4 a 1. Ambos os times vencedores são treinados pelo professor de educação física Cícero Arize.   RSE Informa
Published in Nacionais
A Pontifícia Comissão para a América Latina (CAL) anunciou a realização do “Encontro no Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe”, de 16 a 19 de novembro, com a finalidade de impulsionar a nova evangelização em todo o continente americano.
Published in Internacionais
  O II Congresso ANEC chegou ao fim no último sábado, 6 de julho, com saldo positivo. A última conferência conduzida pelo consultor educacional, Celso Antunes, emocionou a todos sob o tema “Os Desafios da Nova Escola Católica no Século XXI”. O palestrante abordou os quatro desafios básicos que os professores têm de aplicar no dia a dia em sala de aula. Dentre os quais foram enfatizados o trabalho das competências pedagógicas e os valores da escola católica.   O público foi levado à emoção com casos apresentados por Antunes, que além de mestre em Ciências Humanas e especialista em Inteligência e Cognição, também é grande contador e encantador de histórias. Uma de suas histórias foi o de uma professora de uma escola rural, que mesmo sem energia elétrica trabalhou a questão da internet com seus alunos. Segundo o educador, o professor é o principal agente de transformação da escola. Se não existe uma coordenação de direção que propicie suas condições de trabalho ele ficará, de certa forma, amarrado. Ele tem uma atuação criativa. Porém essa criatividade se diferencia da improvisação em sala.   Os Fóruns, Oficinas, Comunicações científicas, grupos de trabalho e sessões de pôsteres propiciaram debates de temas educacionais e institucionais a partir da construção de um conjunto de referências que mostraram que sim, uma nova escola é possível.   A programação do Congresso foi encerrada com a assembleia geral, destacando o resultado final com a carta de Goiânia, que teve resultado com conclusões inéditas, resultado da reflexão de grupos de trabalho. Para Wolmir Amado, presidente do conselho superior da ANEC, é o momento dos educadores católicos mostrarem a força da educação católica com mais ênfase ao governo, ao país, e às políticas de educação. Sobre o Congresso, enfatizou que o evento foi um conjunto de alegria e gratidão em reunir um grande número de pessoas. “É uma alegria termos sediado o Congresso em Goiânia, ele possibilitou a troca de experiências e palestras de qualidade”, disse Wolmir.   Padre José Marinone, SDB, diretor presidente da ANEC, acredita que o evento alcançou suas metas, destacando que o ponto fundamental e desafiador do evento foi assumir que uma nova escola é possível. “O congresso chamou a atenção pela qualidade das palestras, dos palestrantes e educadores que apresentaram e partilharam suas experiências e conhecimento. O tema ‘Uma Outra Escola É Possível’ não é apenas instigante, desafiador e comprometedor. Não é simplesmente dizer que é possível uma nova escola. Uma nova escola é possível mudando a nossa mentalidade, mudando nosso fazer pedagógico, assumindo a ideia que realmente não se constrói uma escola hoje sem ter como ponto fundamental a formação integral do ser humano. Isso exige a busca da vivência de novos valores,  conceitos e realidades. Por outro lado, por sermos educadores católicos necessitamos -  como diz o documento de Aparecida -  não perder de vista, que  toda a educação católica deve levar o educando para a pessoa de Jesus Cristo”, declarou padre Marinone.   Educadores, gestores, pesquisadores e acadêmicos deixaram o II Congresso Nacional de Educação Católica, no Centro de Convenções de Goiânia, com o sentimento de saudade e, ao mesmo tempo, de alegria por terem vivenciado experiências didáticas ao longo de quatro dias. A discussão principal ‘Uma nova escola é possível’ levou os participantes a analisarem as potencialidades e possibilidades de construção de um novo modelo educacional.   O III Congresso Nacional de Educação Católica, a ser realizado em 2015, será sediado em Curitiba, no estado do Paraná. O evento contará com o apoio da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR. O III Congresso abordará a temática “Carisma, Conhecimento e Competências: Desafios e Oportunidades para a Educação católica nas Culturas Contemporâneas".   ANEC
Published in Educação
  Nos dias dos atos centrais da Jornada Mundial da Juventude, a prefeitura de Rio de Janeiro deverá decretar feriado. Em coletiva à imprensa, o prefeito da cidade, Eduardo Paes, anunciou que o feriado começará na terça-feira, dia 23 de julho, às 16h. Na ocasião, haverá a missa de abertura da Jornada com o arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta. A proposta ainda vai seguir para aprovação da Câmara de Vereadores. A expectativa da prefeitura é receber 1,5 milhão de pessoas durante a Jornada.   O feriado será integral nos dias 25 e 26, quinta e sexta-feira, por causa da presença do papa Francisco na Praia de Copacabana. Na segunda-feira após a Jornada, dia 29 de julho, será feriado até às 12h, semelhante à quarta-feira de cinzas. O objetivo é facilitar a saída dos ônibus de peregrinos da cidade. Os eventos sem relação com as atividades da Jornada não serão autorizados pela prefeitura.   Segundo o prefeito, algumas atividades funcionarão normalmente para que haja infraestrutura para os turistas. A proposta exclui as atividades de comércio de rua, bares, centros comerciais, shopping centers, galerias, estabelecimentos culturais e pontos turísticos, além de alguns órgãos da prefeitura.   Eduardo Paes destacou que é preciso um esquema especial pela importância do evento. "Sob o ponto de vista de quantidade de pessoas, deslocamento, mobilidade, concentração de pessoas, esse evento tem uma dimensão maior que a Copa do Mundo e a própria olimpíada", destacou. Ele disse ainda que o objetivo é mostrar a hospitalidade do Rio de Janeiro. "Queremos mostrar a imagem do Rio de Janeiro acolhedor, que trata bem seus visitantes e que está muito feliz com a visita do papa Francisco", disse.   Paes disse não acreditar que acontecerão problemas porque o evento é pacífico. "O espírito desse encontro é muito pacífico. Todos sabem da importância de sua participação".   Esquema de mobilidade   As propostas da prefeitura incluem ainda a proibição de circulação de ônibus fretado entre os dias 19 e 30 de julho. Eles passarão por triagem antes de entrar na Capital. Os pontos de parada serão no terreno da Canção Nova, em Cachoeira Paulista, no Interior de São Paulo, em Casimiro de Abreu e Itaipava, ambas no Interior do Rio de Janeiro.   Depois, serão adesivados e estacionados em locais específicos. Os bolsões estão localizados em Paciência e Recreio dos Bandeirantes. Os coletivos só poderão ser retirados para a viagem de volta.   Na terça-feira, dia 23, a missa com Dom Orani terá um esquema de trânsito semelhante a grandes shows em Copacabana. Nos atos com o papa, nos dias 25 e 26, o esquema será o mesmo do Réveillon. De acordo com o prefeito, a frota de transporte público convencional será suficiente para conter a demanda. Haverá, no entanto, algumas mudanças de rota de ônibus para concentrar o fluxo da população para Copacabana e depois para Guaratiba.   Em Guaratiba, para a vigília do sábado e para a missa de envio no domingo, os peregrinos precisarão caminhar por 13 quilômetros. As rotas partem de Santa Cruz (Estrada da Pedra), Campo Grande (Estrada do Mato Alto) e Recreio (Avenida das Américas/Avenida Dom João VI). A chegada aos locais será via transporte público com vias de ônibus e BRT.   JMJ Rio2013
Published in Nacionais
A Equipe Mirim de Futsal do Colégio Salesiano Dom Bosco (Paralela), em Salvador, BA, sagrou-se campeã da 1ª edição do Futcup Salvador depois de vencer o time do Instituto Social da Bahia em uma partida realizada no dia 14 de novembro, no ginásio do Liceu Salesiano (Nazaré). O evento é o maior torneio intercolegial de futsal do Brasil e realiza-se também nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Já na categoria Infantil o colégio salesiano ficou em terceiro lugar depois de derrotar a equipe do Apoio pelo placar de 4 a 1. Ambos os times vencedores são treinados pelo professor de educação física Cícero Arize.   RSE Informa
Published in Nacionais