Nos dias 28 e 29 de agosto, mais uma etapa da Avaliação Institucional da Rede Salesiana de Escolas (RSE) chegou ao fim. Os resultados serão de grande valia para as escolas e a educação salesiana. As escolas de todo o país que aderiram à 4ª Jornada de Avaliação Institucional da Rede Salesiana de Escolas cumpriram mais uma etapa do processo. Participaram alunos do 5º ao 9º ano do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio, além de educadores, gestores e familiares de 92 escolas da Rede. O programa de avaliação deste ano teve testes de Leitura, Matemática e Produção Textual, realizados por mais de 16.500 alunos da Rede, e um questionário de atitudes e valores para alunos do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio, que foi respondido por cerca de 45.700 estudantes. A avaliação da RSE é realizada como parte da parceria entre a Avalia Educacional e a Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (ANEC), sendo que a RSE é a maior rede de escolas a participar do sistema de avaliação. Os objetivos são ampliar e melhorar os processos de gestão da aprendizagem no âmbito das comunidades educativas, consolidando nas escolas a cultura da avaliação. Leia mais em RSE
Published in Nacionais
  Aluna salesiana e pesquisadora universitária, a jovem Bruna Aparecida do Nascimento Bacico fala sobre a influência da pedagogia de Dom Bosco em seu projeto de vida pessoal e profissional.   Tenho 25 anos. Sou lorenense nata, ex-aluna do Projeto Social Salesiano Vida Melhor (PROVIM) de Lorena, SP, e do curso de Filosofia do Centro UNISAL. Atualmente, curso pós-graduação em Gestão Escolar nas Faculdades Integradas Teresa D' Ávila (FATEA). Assim, há 19 anos recebo em minha vida pessoal e profissional o diferencial da pedagogia salesiana. A ênfase da pedagogia salesiana fez com que eu me habituasse a querer aprender sempre mais. Dom Bosco ensinou-me que se desejamos ser bons, devemos aprender não somente os ensinamentos da religião, mas tudo que trata de unir teoria e prática na busca de uma sociedade mais autêntica. Logo, devemos estudar e fazer ciência a partir do contexto em que estamos inseridos. Com isso, Dom Bosco, inspirou-me a elaborar um projeto de pesquisa sobre a importância do professor no desenvolvimento do cidadão. Comecei a estudar mais sobre os princípios pedagógicos de Dom Bosco e, no diálogo com diversos educadores salesianos, conheci a professora Maria Cristina Marcelino Bento,  orientadora do meu projeto. Coloquei para ela os meus anseios como jovem recém-formada, quatro anos apenas a lecionar. Desses diálogos nasceu um projeto de formação para educadores, tendo em vista a qualidade no desenvolvimento de uma Educação para a cidadania. Por onde começar? Por aquilo que causa conflito existencial. Procurei algo que estabelecesse maior esperança na mudança da visão de educação que tinha. Essa atitude, aliada à necessidade profissional de meu marido de morar na Alemanha por um período, resultou na proposta de conhecer o trabalho de uma instituição salesiana em outro país. Com o objetivo de conhecer a prática educativa de Dom Bosco, busquei um estudo comparativo sobre as contribuições do sistema preventivo em duas realidades: na Obra Social dos Salesianos em São Carlos, SP, Brasil, e na Faculdade Salesiana de Filosofia-Teologia e Pedagogia-Sociologia, em Benediktbeuern, Baviera, Alemanha. Apresentei meu projeto para o diretor, padre Claudius Amann, padre Miguel Rodriguez e padre R. Gesing, que receberam muito bem a proposta. Por um período de três meses, estive sob a orientação do Prof. Dr. Martin Lechner, responsável pela formação salesiana dos educadores desta e de todas as outras instituições salesianas na Alemanha. Os salesianos da Faculdade Salesiana são membros ativos do Ministério Público da Alemanha e desenvolvem inúmeros projetos educativos, como por exemplo ações sociais com jovens imigrantes de vários países e adolescentes que vão a Benediktbeuern para receber uma formação profissionalizante humana e cristã. Fui àquele país em busca de aprofundamento sobre a orientação educacional de Dom Bosco para os jovens de sua época. E vi-me inserida em um contexto de educação multicultural, em que a pedagogia salesiana corresponde às necessidades que tanto Brasil quanto Alemanha têm para melhorar cada dia mais o desenvolvimento do jovem, preparando-o para intervir na sociedade por meio de sua própria profissão. A segunda etapa da pesquisa foi desenvolvida nos Salesianos de São Carlos, SP, onde obtive o apoio do diretor, padre Manoel de Souza Profilo, e de toda equipe gestora e de educadores. Também esta instituição é referencial, no Brasil, para o desenvolvimento da educação pela cidadania por meio da formação de educadores. Essa oportunidade de estudo fez com que eu vencesse as dificuldades de ser professor. Sou feliz em ter recebido a influência da pedagogia salesiana em tantas fases da minha vida e com isso ter construído um projeto pessoal e profissional aberto a novos caminhos e novos horizontes, sempre!   Bruna Aparecida do Nascimento Bacicoé estudante, professora e pesquisadora.
Published in Educação
Page 2 of 2
Nos dias 28 e 29 de agosto, mais uma etapa da Avaliação Institucional da Rede Salesiana de Escolas (RSE) chegou ao fim. Os resultados serão de grande valia para as escolas e a educação salesiana. As escolas de todo o país que aderiram à 4ª Jornada de Avaliação Institucional da Rede Salesiana de Escolas cumpriram mais uma etapa do processo. Participaram alunos do 5º ao 9º ano do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio, além de educadores, gestores e familiares de 92 escolas da Rede. O programa de avaliação deste ano teve testes de Leitura, Matemática e Produção Textual, realizados por mais de 16.500 alunos da Rede, e um questionário de atitudes e valores para alunos do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio, que foi respondido por cerca de 45.700 estudantes. A avaliação da RSE é realizada como parte da parceria entre a Avalia Educacional e a Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (ANEC), sendo que a RSE é a maior rede de escolas a participar do sistema de avaliação. Os objetivos são ampliar e melhorar os processos de gestão da aprendizagem no âmbito das comunidades educativas, consolidando nas escolas a cultura da avaliação. Leia mais em RSE
Published in Nacionais
  Aluna salesiana e pesquisadora universitária, a jovem Bruna Aparecida do Nascimento Bacico fala sobre a influência da pedagogia de Dom Bosco em seu projeto de vida pessoal e profissional.   Tenho 25 anos. Sou lorenense nata, ex-aluna do Projeto Social Salesiano Vida Melhor (PROVIM) de Lorena, SP, e do curso de Filosofia do Centro UNISAL. Atualmente, curso pós-graduação em Gestão Escolar nas Faculdades Integradas Teresa D' Ávila (FATEA). Assim, há 19 anos recebo em minha vida pessoal e profissional o diferencial da pedagogia salesiana. A ênfase da pedagogia salesiana fez com que eu me habituasse a querer aprender sempre mais. Dom Bosco ensinou-me que se desejamos ser bons, devemos aprender não somente os ensinamentos da religião, mas tudo que trata de unir teoria e prática na busca de uma sociedade mais autêntica. Logo, devemos estudar e fazer ciência a partir do contexto em que estamos inseridos. Com isso, Dom Bosco, inspirou-me a elaborar um projeto de pesquisa sobre a importância do professor no desenvolvimento do cidadão. Comecei a estudar mais sobre os princípios pedagógicos de Dom Bosco e, no diálogo com diversos educadores salesianos, conheci a professora Maria Cristina Marcelino Bento,  orientadora do meu projeto. Coloquei para ela os meus anseios como jovem recém-formada, quatro anos apenas a lecionar. Desses diálogos nasceu um projeto de formação para educadores, tendo em vista a qualidade no desenvolvimento de uma Educação para a cidadania. Por onde começar? Por aquilo que causa conflito existencial. Procurei algo que estabelecesse maior esperança na mudança da visão de educação que tinha. Essa atitude, aliada à necessidade profissional de meu marido de morar na Alemanha por um período, resultou na proposta de conhecer o trabalho de uma instituição salesiana em outro país. Com o objetivo de conhecer a prática educativa de Dom Bosco, busquei um estudo comparativo sobre as contribuições do sistema preventivo em duas realidades: na Obra Social dos Salesianos em São Carlos, SP, Brasil, e na Faculdade Salesiana de Filosofia-Teologia e Pedagogia-Sociologia, em Benediktbeuern, Baviera, Alemanha. Apresentei meu projeto para o diretor, padre Claudius Amann, padre Miguel Rodriguez e padre R. Gesing, que receberam muito bem a proposta. Por um período de três meses, estive sob a orientação do Prof. Dr. Martin Lechner, responsável pela formação salesiana dos educadores desta e de todas as outras instituições salesianas na Alemanha. Os salesianos da Faculdade Salesiana são membros ativos do Ministério Público da Alemanha e desenvolvem inúmeros projetos educativos, como por exemplo ações sociais com jovens imigrantes de vários países e adolescentes que vão a Benediktbeuern para receber uma formação profissionalizante humana e cristã. Fui àquele país em busca de aprofundamento sobre a orientação educacional de Dom Bosco para os jovens de sua época. E vi-me inserida em um contexto de educação multicultural, em que a pedagogia salesiana corresponde às necessidades que tanto Brasil quanto Alemanha têm para melhorar cada dia mais o desenvolvimento do jovem, preparando-o para intervir na sociedade por meio de sua própria profissão. A segunda etapa da pesquisa foi desenvolvida nos Salesianos de São Carlos, SP, onde obtive o apoio do diretor, padre Manoel de Souza Profilo, e de toda equipe gestora e de educadores. Também esta instituição é referencial, no Brasil, para o desenvolvimento da educação pela cidadania por meio da formação de educadores. Essa oportunidade de estudo fez com que eu vencesse as dificuldades de ser professor. Sou feliz em ter recebido a influência da pedagogia salesiana em tantas fases da minha vida e com isso ter construído um projeto pessoal e profissional aberto a novos caminhos e novos horizontes, sempre!   Bruna Aparecida do Nascimento Bacicoé estudante, professora e pesquisadora.
Published in Educação
Page 2 of 2