Antes mesmo de finalizarem a 3ª série do ensino médio, 16 alunos do Colégio Salesiano Jardim Camburi, em Vitória, ES, já conquistaram vagas em importantes universidades federais pelo Brasil. Por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), eles garantiram aprovações na UFOP, UFF, UFES, UFRJ, IFES-ES, CEFET-MG, entre outras.   O resultado positivo é consequência do ótimo desempenho destes estudantes durante o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2012 e da dedicação para testar competências e habilidades ainda na 2ª série do ensino médio. “Na escola, os alunos do ensino médio já participam de simulados adaptados ao formato do ENEM desde a 1ª série. Também incentivamos todos a tentar o exame nacional para conhecer na prática o formato e a dinâmica da prova”, destaca a coordenadora do Salão do Vestibular, Adriana Barreiros.   Neste primeiro semestre, o Sisu 2013 ofereceu 39.724 vagas em 1.179 cursos de 54 universidades e institutos federais. Somente estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio e que não tenham zerado a redação podem tentar o Sistema de Seleção Unificada. O processo seletivo do Sisu é realizado duas vezes ao ano, sempre no início do semestre letivo.   RSE Informa   Leia também: Estudantes brilham na Olimpíada Canguru Sem Fronteiras
Published in Nacionais
  O VII Encontro Nacional da Rede Salesiana de Ação Social (ENRESAS) será realizado de 28 a 30 de junho, em Brasília – DF.   Nos dias 28 a 30 de junho, cerca de 90 gestores de entidades pertencentes à Rede Salesiana de Ação Social (RESAS) estarão reunidos em Brasília, DF, para o VII Encontro Nacional da Rede (VII ENRESAS).   Sob o tema “A identidade e a significatividade da presença salesiana nos espaços sociais”, o encontro terá os seguintes objetivos: Consolidar a Rede Salesiana de Ação Social, Oferecer formação continuada aos gestores das unidades da Rede e Avaliar e projetar a caminhada das obras sociais salesianas.   A proposta é que os participantes troquem experiências e saberes na busca de soluções conjuntas. E que possam colaborar para que as obras sociais salesianas continuem promovendo a formação integral dos jovens, em uma perspectiva que vai além da preparação técnica e profissional, reforçando o desenvolvimento humano, ético e espiritual de todos os envolvidos no processo educativo.   Para isso, a estrutura do VII ENRESAS foi dividida em palestras, apresentação de cases representativos e discussão em grupos de trabalho. Entre os temas que serão tratados nas palestras estão: A Pedagogia da Bondade e o Projeto das Obras Sociais; Os Caminhos da Congregação; Gestão, Significatividade e Sustentabilidade eAspectos Gerais: Certificações. Os participantes tratarão ainda com especial atenção das questões relativas à formação dos educadores sociais (cursos EAD e Diálogos de Formação) e da padronização dos sites das entidades da RESAS.   A tarde do segundo dia do Encontro, 29 de junho, será dedicada aos grupos de trabalho. Eles deverão elaborar um Marco Referencial para o projeto educativo pastoral das obras sociais a partir de quatro perspectivas: sociopedagógica, de gestão, pastoral e de inovação tecnológica.   O VII ENRESAS encerra-se em 30 de junho com a apresentação da síntese dos grupos de trabalho e a reunião dos participantes por inspetorias.    
Published in Ação Social
  Os alunos do Ensino Médio dos colégios salesianos do Vale do Paraíba receberam na última semana, 17 a 21 de junho, os resultados obtidos no segundo Simuladão conjunto do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).   As provas foram realizadas nos dias 28 e 29 de maio no Colégio São Joaquim, em Lorena, São Paulo, e participaram alunos do Instituto Nossa Senhora Auxiliadora (INSA-Oratório) de Cruzeiro, Colégio São Joaquim e Instituto Santa Teresa de Lorena e Instituto Nossa Senhora do Carmo, de Guaratinguetá. Os alunos do Instituto São José, de São José dos Campos, também participaram do simulado, mas por causa da distância, realizaram os exames no próprio colégio.     Os exercícios das provas foram no estilo do ENEM. Entregues em caderno de questões, elaborados pelos professores das próprias escolas envolvidas, cada uma se encarregando de uma ou duas matérias, contemplavam os conteúdos programados até o final do primeiro trimestre do terceiro ano do material da Rede Salesiana de Escolas (RSE).   No primeiro dia de avaliação foram aplicadas 90 questões das disciplinas “Ciências Humanas e Suas Tecnologias” e de “Ciências da Natureza e Suas Tecnologias”. No segundo dia, outras 90 questões de “Linguagem e Matemática” e uma redação. As respostas às questões objetivas, respondidas em cartão para leitura ótica, foram corrigidas pela Unidade Lorena do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL). As correções das redações foram realizadas por professores de um colégio externo, para que o aluno se prepare para ser analisado por um corretor desconhecido.   O Simuladão foi obrigatório para os alunos do terceiro ano. Já os alunos do primeiro e segundo anos foram apenas convidados a participarem das provas. Para eles, as provas representaram um desafio, já que foram baseadas em conteúdos que só verão no último ano do Ensino Médio. A participação desse público, porém, superou os 90%. O resultado obtido nesse Simuladão será incorporado à nota do segundo trimestre conforme os critérios internos de cada escola.   Essa é a segunda vez que essas escolas realizam esse tipo de simulado. A primeira foi no ano de 2012. A avaliação é de que fazer um Simuladão conjunto na forma presencial acrescenta uma descarga de adrenalina diferente, que não se assemelha aos simulados que realizados nas próprias escolas. Além disso, ajuda polarizar os alunos da Rede Salesiana de Escolas para os vestibulares, questão em torno da qual a concorrência insiste com toda a força e dá visibilidade aos alunos e professores para a grandeza da RSE, muito maior que cada escola em particular.    Fruto dessa avaliação, diretores, ecônomos e coordenadores dessas escolas, já no ano passado, decidiram fazer um simulado semelhante no segundo semestre deste ano também para os alunos do oitavo e nono anos do ensino fundamental.   O Simuladão não redunda em um ranqueamento entre as escolas, mas os resultados de cada escola são cotejados e discutidos nas reuniões conjuntas entre as diretorias e as coordenações dos colégios.   Com informações do padre Ailton dos Santos
Published in Nacionais
Os jovens que estão em processo de discernimento vocacional acompanhados pelo Serviço de Animação Vocacional da Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora participaram no dia 23 de junho, no Centro de Espiritualidade Juvenil Salesiana, em São Paulo, do encontro Evangelho e Vida.   Objetivando um aprofundamento religioso dentro do carisma salesiano, os 31 jovens que estiveram na segunda edição do encontro realizada neste ano, oriundos das presenças salesianas de Americana, Araras, Campinas (São José), Lorena, São Paulo (Mooca e Bom Retiro) e Sorocaba, trabalharam o tema “Os jovens e os conselhos evangélicos”, assessorado pelo salesiano Alexandro Santana.   Após o almoço, os vocacionados assistiram a um vídeo sobre testemunhos de vida consagrada religiosa, do padre Ugo de Censi (salesiano italiano que atua como missionário na América do Sul, na região dos Andes), juntamente com o testemunho do irmão Rodrigo Tarcha.   Terminando o dia, os jovens participaram da celebração eucarística no Santuário Sagrado Coração de Jesus onde, ao final, foi realizada uma oração de entrega da própria vocação junto ao altar de Dom Bosco no santuário, onde se encontra a urna com as suas relíquias.   Inspetoria Salesiana de São Paulo   Leia também: Comunidades acolhem as Convivências Vocacionais
Published in Nacionais
Os bispos manifestam "solidariedade e apoio às manifestações, desde que pacíficas, que têm levado às ruas gente de todas as idades, sobretudo os jovens". A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresentou a Nota em entrevista coletiva e o documento foi aprovado na reunião do Conselho Permanente concluída na sexta-feira, 21 de junho.
Published in Igreja
  O Sistema Salesiano de Ação Social (SSAS) realizou, no dia 19 de junho, o primeiro evento comemorativo dos 25 anos do Centro Juvenil Dom Bosco e do Programa Casa Dom Bosco, ambos em Belo Horizonte, MG.  Foram promovidas duas mesas redondas, na sede do Centro Juvenil, que permitiram o resgate do processo histórico de surgimento das duas unidades, além da contextualização do cenário institucional e político atual.   A primeira mesa redonda abordou o nascimento dos dois programas e foi coordenada pelos salesianos irmão Raimundo Mesquita e padre Jairo Matos e pelo vice-diretor do Centro Juvenil, Cláudio Bastos. A segunda debateu as perspectivas atuais para as unidades e foi realizada pelo delegado do Sistema Salesiano de Ação Social (SSAS), padre Moacir Scari, a articuladora institucional Miriam Santos e a coordenadora pedagógica e pastoral da Casa Dom Bosco, Sandra Barbosa.   As comemorações dos 25 anos das unidades continuarão ao longo do ano e serão encerradas em dezembro com uma celebração eucarística. O objetivo é partilhar as experiências com a rede de atendimento à criança e ao adolescente em situação de vulnerabilidade pessoal e social de Belo Horizonte.   Inspetoria São João Bosco
Published in Ação Social
  A Presidência da CNBB foi recebida pela presidente Dilma Roussef, no final da tarde da sexta-feira, 21 de junho. O encontro durou cerca de 45 minutos e na ocasião foi discutida a visita do Papa ao Brasil e a Jornada Mundial da Juventude. Dom Damasceno entregou à presidenta a nota que a CNBB divulgou sobre as manifestações que ocorrem no país. A presidente confirmou a importância do evento mundial e da visita do Papa.   Além dos três membros da Presidência da CNBB, estavam presentes também o ministro Gilberto Carvalho e padre Geraldo Martins, assessor político da CNBB. Segundo a Agência Brasil, a presidenta Dilma garantiu a segurança para a realização da JMJ. Dom Damasceno lembrou que “É missão do Estado, do município, do próprio governo estadual dar garantia a todos os cidadãos que vêm ao Brasil. E é claro que ela vai nos garantir porque se trata de um evento muito grande. Falamos em dois milhões de pessoas. E além do mais, temos a presença do santo padre”.   O presidente da CNBB, em entrevista coletiva concedida no final da reunião do Conselho Permanente da Conferência, no início da tarde de sexta-feira, antes de sua visita à presidenta Dilma, lembrou ainda que podem ocorrer manifestações, paralelamente ao encontro da JMJ, e isso será normal, como já aconteceu em outros países que sediaram a jornada: “Não estou preocupado. Tudo está correndo normalmente, não vamos fazer nenhuma modificação, tanto na programação quanto na data. Os governos têm a missão e a tarefa de guardar a segurança daqueles que vão participar da jornada. Temos certeza de que jovens que virão serão muito bem acolhidos”.   CNBB
Published in Nacionais
    A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou uma nota sobre a redução da maioridade penal, na quinta-feira, 16 de maio, durante coletiva de imprensa, que apresentou o balanço da reunião do Conselho Episcopal Pastoral (CONESP). A CNBB “reafirma que a redução da maioridade não é a solução para o fim da violência”. Assim, a “Igreja no Brasil continua acreditando na capacidade de regeneração do adolescente quando favorecido em seus direitos básicos e pelas oportunidades de formação integral nos valores que dignificam o ser humano”.   “Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5,9)   Nota da CNBB sobre a redução da maioridade penal   O debate sobre a redução da maioridade penal, colocado em evidência mais uma vez pela comoção provocada por crimes bárbaros cometidos por adolescentes, conclama-nos a uma profunda reflexão sobre nossa responsabilidade no combate à violência, na promoção da cultura da vida e da paz e no cuidado e proteção das novas gerações de nosso país.   A delinquência juvenil é, antes de tudo, um aviso de que o Estado, a Sociedade e a Família não têm cumprido adequadamente seu dever de assegurar, com absoluta prioridade, os direitos da criança e do adolescente, conforme estabelece o artigo 227 da Constituição Federal. Criminalizar o adolescente com penalidades no âmbito carcerário seria maquiar a verdadeira causa do problema, desviando a atenção com respostas simplórias, inconsequentes e desastrosas para a sociedade.   A campanha sistemática de vários meios de comunicação a favor da redução da maioridade penal violenta a imagem dos adolescentes esquecendo-se de que eles são também vítimas da realidade injusta em que vivem. Eles não são os principais responsáveis pelo aumento da violência que nos assusta a todos, especialmente pelos crimes de homicídio. De acordo com a ONG Conectas Direitos Humanos, a maioria dos adolescentes internados na Fundação Casa, em São Paulo, foi detida por roubo (44,1%) e tráfico de drogas (41,8%). Já o crime de latrocínio atinge 0,9% e o de homicídio, 0,6%. É, portanto, imoral querer induzir a sociedade a olhar para o adolescente como se fosse o principal responsável pela onda de violência no país.   Acesse o site da CNBB para ler a nota na íntegra
Published in Igreja
Um processo longo com participação ampla das comunidades de todo o Brasil resultou na seleção de 10 cartazes e algumas propostas de hinos para a Campanha da Fraternidade (CF) de 2014, que trata do Tráfico Humano.   Tomaram a palavra e fizeram considerações sobre os hinos na primeira sessão de trabalho: dom Pedro Brito, arcebispo de Palmas, (TO), dom Joaquim Mol, bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG), dom Armando Bucciol, bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA), dom Sergio Braschi, bispo de Ponta Grossa (PR), dom Leonardo Steiner, bispo auxiliar de Brasília (DF), além dos assessores da Comissão de Liturgia, Frei Faustino Paludo e padre Carlos Sala. No final, os bispos, por meio de votação, escolheram o hino da Campanha da Fraternidade de 2014.   No debate sobre os cartazes, padre Luiz Carlos, secretário executivo da CF, explicou que desta vez, inicialmente, a coordenação dos trabalhos selecionou um número menor de propostas. Os bispos tiveram tempo para apreciar cada um desses cartazes e, em seguida, fizeram intervenções: dom Joaquim Mol, dom Francisco Biasin, bispo de Barra do Pirai-Volta Redonda (RJ), dom Eduardo Pinheiro, bispo auxiliar de Campo Grande (MS), dom José Belisário, arcebispo de São Luis (MA), dom Pedro Brito, dom Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília (DF), dom Armando Bucciol, dom Sergio Braschi. Os assessores: irmã Maria Eugênia, da Comissão para Educação e Cultura, irmã Élide Fogolari, da Comissão para a Comunicação e padre Nilton Riami, representante da OSIB. No final, o cartaz oficial foi escolhido por meio de votação secreta.   CNBB  
Published in Nacionais
  Os alunos do Instituto Teresa Valsé (ITV), em Uberlândia, MG, vêm colhendo ótimos resultados no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).   Um bom exemplo é Marina Borges Ruguê, nota 1000 na redação do último exame. Quando indagada sobre como foi sua organização e rotina de estudos, ela se lembra: “Eu definia o que deveria estudar no dia e, quando terminava, tinha o meu tempo livre. Não adianta se matar de estudar e negligenciar o resto. Afinal, em uma prova extensa como a do ENEM, o preparo físico conta bastante”. Nos finais de semana, Marina não se preocupava com o que deveria estudar, mas em descansar para repor as energias: “Eu aproveitava para ler revistas, sair, ver televisão, etc”, conta.   Ela também compartilha uma dica que diz ter recebido dos professores no primeiro dia de aula no 3º ano do ensino médio: “Estudar 50 minutos e descansar 10. Isso foi bom porque eu não ficava cansada e rendia mais. Assim, organizava o que eu iria estudar na semana (separando por dias) e seguia esse roteiro.” Quanto ao seu desempenho na redação, Marina o atribui tanto às aulas de redação do ensino fundamental como às produções semanais no ensino médio, com correções que, apesar de lhe renderem alguns sustos, fizeram-na perceber erros e corrigi-los.     “Para ter uma boa variedade de vocabulário, eu diariamente pegava revistas e lia os artigos e editoriais, prestando atenção em como os autores introduziam os textos, nas expressões que eu poderia usar, como apresentar bem as ideias, etc. Peguei também algumas das melhores redações da FUVEST, imprimi os textos e li, grifando palavras que eu poderia usar na minha redação”, acrescenta.   Muitos outros alunos do Instituto Teresa Valsé se destacaram no exame. Entre eles Juliana Bueno, que também recebeu nota 1000 na redação do último ENEM; Ana Beatriz Arantes Araújo, que conquistou o 2º lugar entre os aprovados do curso de Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia; Enrico Temporim Ribeiro, que, ainda cursando o 1º ano do ensino médio, teve o maior desempenho da cidade no PASES de Viçosa (conferindo ao ITV o 1º lugar entre as 917 escolas cadastradas); além do aluno Matheus Pólvore, também do 1º ano do ensino médio, que conseguiu um excelente resultado no ENEM para o curso de Matemática da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).   RSE Informa
Published in Nacionais
Page 5 of 10
  Antes mesmo de finalizarem a 3ª série do ensino médio, 16 alunos do Colégio Salesiano Jardim Camburi, em Vitória, ES, já conquistaram vagas em importantes universidades federais pelo Brasil. Por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), eles garantiram aprovações na UFOP, UFF, UFES, UFRJ, IFES-ES, CEFET-MG, entre outras.   O resultado positivo é consequência do ótimo desempenho destes estudantes durante o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2012 e da dedicação para testar competências e habilidades ainda na 2ª série do ensino médio. “Na escola, os alunos do ensino médio já participam de simulados adaptados ao formato do ENEM desde a 1ª série. Também incentivamos todos a tentar o exame nacional para conhecer na prática o formato e a dinâmica da prova”, destaca a coordenadora do Salão do Vestibular, Adriana Barreiros.   Neste primeiro semestre, o Sisu 2013 ofereceu 39.724 vagas em 1.179 cursos de 54 universidades e institutos federais. Somente estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio e que não tenham zerado a redação podem tentar o Sistema de Seleção Unificada. O processo seletivo do Sisu é realizado duas vezes ao ano, sempre no início do semestre letivo.   RSE Informa   Leia também: Estudantes brilham na Olimpíada Canguru Sem Fronteiras
Published in Nacionais
  O VII Encontro Nacional da Rede Salesiana de Ação Social (ENRESAS) será realizado de 28 a 30 de junho, em Brasília – DF.   Nos dias 28 a 30 de junho, cerca de 90 gestores de entidades pertencentes à Rede Salesiana de Ação Social (RESAS) estarão reunidos em Brasília, DF, para o VII Encontro Nacional da Rede (VII ENRESAS).   Sob o tema “A identidade e a significatividade da presença salesiana nos espaços sociais”, o encontro terá os seguintes objetivos: Consolidar a Rede Salesiana de Ação Social, Oferecer formação continuada aos gestores das unidades da Rede e Avaliar e projetar a caminhada das obras sociais salesianas.   A proposta é que os participantes troquem experiências e saberes na busca de soluções conjuntas. E que possam colaborar para que as obras sociais salesianas continuem promovendo a formação integral dos jovens, em uma perspectiva que vai além da preparação técnica e profissional, reforçando o desenvolvimento humano, ético e espiritual de todos os envolvidos no processo educativo.   Para isso, a estrutura do VII ENRESAS foi dividida em palestras, apresentação de cases representativos e discussão em grupos de trabalho. Entre os temas que serão tratados nas palestras estão: A Pedagogia da Bondade e o Projeto das Obras Sociais; Os Caminhos da Congregação; Gestão, Significatividade e Sustentabilidade eAspectos Gerais: Certificações. Os participantes tratarão ainda com especial atenção das questões relativas à formação dos educadores sociais (cursos EAD e Diálogos de Formação) e da padronização dos sites das entidades da RESAS.   A tarde do segundo dia do Encontro, 29 de junho, será dedicada aos grupos de trabalho. Eles deverão elaborar um Marco Referencial para o projeto educativo pastoral das obras sociais a partir de quatro perspectivas: sociopedagógica, de gestão, pastoral e de inovação tecnológica.   O VII ENRESAS encerra-se em 30 de junho com a apresentação da síntese dos grupos de trabalho e a reunião dos participantes por inspetorias.    
Published in Ação Social
  Os alunos do Ensino Médio dos colégios salesianos do Vale do Paraíba receberam na última semana, 17 a 21 de junho, os resultados obtidos no segundo Simuladão conjunto do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).   As provas foram realizadas nos dias 28 e 29 de maio no Colégio São Joaquim, em Lorena, São Paulo, e participaram alunos do Instituto Nossa Senhora Auxiliadora (INSA-Oratório) de Cruzeiro, Colégio São Joaquim e Instituto Santa Teresa de Lorena e Instituto Nossa Senhora do Carmo, de Guaratinguetá. Os alunos do Instituto São José, de São José dos Campos, também participaram do simulado, mas por causa da distância, realizaram os exames no próprio colégio.     Os exercícios das provas foram no estilo do ENEM. Entregues em caderno de questões, elaborados pelos professores das próprias escolas envolvidas, cada uma se encarregando de uma ou duas matérias, contemplavam os conteúdos programados até o final do primeiro trimestre do terceiro ano do material da Rede Salesiana de Escolas (RSE).   No primeiro dia de avaliação foram aplicadas 90 questões das disciplinas “Ciências Humanas e Suas Tecnologias” e de “Ciências da Natureza e Suas Tecnologias”. No segundo dia, outras 90 questões de “Linguagem e Matemática” e uma redação. As respostas às questões objetivas, respondidas em cartão para leitura ótica, foram corrigidas pela Unidade Lorena do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL). As correções das redações foram realizadas por professores de um colégio externo, para que o aluno se prepare para ser analisado por um corretor desconhecido.   O Simuladão foi obrigatório para os alunos do terceiro ano. Já os alunos do primeiro e segundo anos foram apenas convidados a participarem das provas. Para eles, as provas representaram um desafio, já que foram baseadas em conteúdos que só verão no último ano do Ensino Médio. A participação desse público, porém, superou os 90%. O resultado obtido nesse Simuladão será incorporado à nota do segundo trimestre conforme os critérios internos de cada escola.   Essa é a segunda vez que essas escolas realizam esse tipo de simulado. A primeira foi no ano de 2012. A avaliação é de que fazer um Simuladão conjunto na forma presencial acrescenta uma descarga de adrenalina diferente, que não se assemelha aos simulados que realizados nas próprias escolas. Além disso, ajuda polarizar os alunos da Rede Salesiana de Escolas para os vestibulares, questão em torno da qual a concorrência insiste com toda a força e dá visibilidade aos alunos e professores para a grandeza da RSE, muito maior que cada escola em particular.    Fruto dessa avaliação, diretores, ecônomos e coordenadores dessas escolas, já no ano passado, decidiram fazer um simulado semelhante no segundo semestre deste ano também para os alunos do oitavo e nono anos do ensino fundamental.   O Simuladão não redunda em um ranqueamento entre as escolas, mas os resultados de cada escola são cotejados e discutidos nas reuniões conjuntas entre as diretorias e as coordenações dos colégios.   Com informações do padre Ailton dos Santos
Published in Nacionais
Os jovens que estão em processo de discernimento vocacional acompanhados pelo Serviço de Animação Vocacional da Inspetoria Salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora participaram no dia 23 de junho, no Centro de Espiritualidade Juvenil Salesiana, em São Paulo, do encontro Evangelho e Vida.   Objetivando um aprofundamento religioso dentro do carisma salesiano, os 31 jovens que estiveram na segunda edição do encontro realizada neste ano, oriundos das presenças salesianas de Americana, Araras, Campinas (São José), Lorena, São Paulo (Mooca e Bom Retiro) e Sorocaba, trabalharam o tema “Os jovens e os conselhos evangélicos”, assessorado pelo salesiano Alexandro Santana.   Após o almoço, os vocacionados assistiram a um vídeo sobre testemunhos de vida consagrada religiosa, do padre Ugo de Censi (salesiano italiano que atua como missionário na América do Sul, na região dos Andes), juntamente com o testemunho do irmão Rodrigo Tarcha.   Terminando o dia, os jovens participaram da celebração eucarística no Santuário Sagrado Coração de Jesus onde, ao final, foi realizada uma oração de entrega da própria vocação junto ao altar de Dom Bosco no santuário, onde se encontra a urna com as suas relíquias.   Inspetoria Salesiana de São Paulo   Leia também: Comunidades acolhem as Convivências Vocacionais
Published in Nacionais
Os bispos manifestam "solidariedade e apoio às manifestações, desde que pacíficas, que têm levado às ruas gente de todas as idades, sobretudo os jovens". A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) apresentou a Nota em entrevista coletiva e o documento foi aprovado na reunião do Conselho Permanente concluída na sexta-feira, 21 de junho.
Published in Igreja
  O Sistema Salesiano de Ação Social (SSAS) realizou, no dia 19 de junho, o primeiro evento comemorativo dos 25 anos do Centro Juvenil Dom Bosco e do Programa Casa Dom Bosco, ambos em Belo Horizonte, MG.  Foram promovidas duas mesas redondas, na sede do Centro Juvenil, que permitiram o resgate do processo histórico de surgimento das duas unidades, além da contextualização do cenário institucional e político atual.   A primeira mesa redonda abordou o nascimento dos dois programas e foi coordenada pelos salesianos irmão Raimundo Mesquita e padre Jairo Matos e pelo vice-diretor do Centro Juvenil, Cláudio Bastos. A segunda debateu as perspectivas atuais para as unidades e foi realizada pelo delegado do Sistema Salesiano de Ação Social (SSAS), padre Moacir Scari, a articuladora institucional Miriam Santos e a coordenadora pedagógica e pastoral da Casa Dom Bosco, Sandra Barbosa.   As comemorações dos 25 anos das unidades continuarão ao longo do ano e serão encerradas em dezembro com uma celebração eucarística. O objetivo é partilhar as experiências com a rede de atendimento à criança e ao adolescente em situação de vulnerabilidade pessoal e social de Belo Horizonte.   Inspetoria São João Bosco
Published in Ação Social
  A Presidência da CNBB foi recebida pela presidente Dilma Roussef, no final da tarde da sexta-feira, 21 de junho. O encontro durou cerca de 45 minutos e na ocasião foi discutida a visita do Papa ao Brasil e a Jornada Mundial da Juventude. Dom Damasceno entregou à presidenta a nota que a CNBB divulgou sobre as manifestações que ocorrem no país. A presidente confirmou a importância do evento mundial e da visita do Papa.   Além dos três membros da Presidência da CNBB, estavam presentes também o ministro Gilberto Carvalho e padre Geraldo Martins, assessor político da CNBB. Segundo a Agência Brasil, a presidenta Dilma garantiu a segurança para a realização da JMJ. Dom Damasceno lembrou que “É missão do Estado, do município, do próprio governo estadual dar garantia a todos os cidadãos que vêm ao Brasil. E é claro que ela vai nos garantir porque se trata de um evento muito grande. Falamos em dois milhões de pessoas. E além do mais, temos a presença do santo padre”.   O presidente da CNBB, em entrevista coletiva concedida no final da reunião do Conselho Permanente da Conferência, no início da tarde de sexta-feira, antes de sua visita à presidenta Dilma, lembrou ainda que podem ocorrer manifestações, paralelamente ao encontro da JMJ, e isso será normal, como já aconteceu em outros países que sediaram a jornada: “Não estou preocupado. Tudo está correndo normalmente, não vamos fazer nenhuma modificação, tanto na programação quanto na data. Os governos têm a missão e a tarefa de guardar a segurança daqueles que vão participar da jornada. Temos certeza de que jovens que virão serão muito bem acolhidos”.   CNBB
Published in Nacionais
    A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou uma nota sobre a redução da maioridade penal, na quinta-feira, 16 de maio, durante coletiva de imprensa, que apresentou o balanço da reunião do Conselho Episcopal Pastoral (CONESP). A CNBB “reafirma que a redução da maioridade não é a solução para o fim da violência”. Assim, a “Igreja no Brasil continua acreditando na capacidade de regeneração do adolescente quando favorecido em seus direitos básicos e pelas oportunidades de formação integral nos valores que dignificam o ser humano”.   “Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus” (Mt 5,9)   Nota da CNBB sobre a redução da maioridade penal   O debate sobre a redução da maioridade penal, colocado em evidência mais uma vez pela comoção provocada por crimes bárbaros cometidos por adolescentes, conclama-nos a uma profunda reflexão sobre nossa responsabilidade no combate à violência, na promoção da cultura da vida e da paz e no cuidado e proteção das novas gerações de nosso país.   A delinquência juvenil é, antes de tudo, um aviso de que o Estado, a Sociedade e a Família não têm cumprido adequadamente seu dever de assegurar, com absoluta prioridade, os direitos da criança e do adolescente, conforme estabelece o artigo 227 da Constituição Federal. Criminalizar o adolescente com penalidades no âmbito carcerário seria maquiar a verdadeira causa do problema, desviando a atenção com respostas simplórias, inconsequentes e desastrosas para a sociedade.   A campanha sistemática de vários meios de comunicação a favor da redução da maioridade penal violenta a imagem dos adolescentes esquecendo-se de que eles são também vítimas da realidade injusta em que vivem. Eles não são os principais responsáveis pelo aumento da violência que nos assusta a todos, especialmente pelos crimes de homicídio. De acordo com a ONG Conectas Direitos Humanos, a maioria dos adolescentes internados na Fundação Casa, em São Paulo, foi detida por roubo (44,1%) e tráfico de drogas (41,8%). Já o crime de latrocínio atinge 0,9% e o de homicídio, 0,6%. É, portanto, imoral querer induzir a sociedade a olhar para o adolescente como se fosse o principal responsável pela onda de violência no país.   Acesse o site da CNBB para ler a nota na íntegra
Published in Igreja
Um processo longo com participação ampla das comunidades de todo o Brasil resultou na seleção de 10 cartazes e algumas propostas de hinos para a Campanha da Fraternidade (CF) de 2014, que trata do Tráfico Humano.   Tomaram a palavra e fizeram considerações sobre os hinos na primeira sessão de trabalho: dom Pedro Brito, arcebispo de Palmas, (TO), dom Joaquim Mol, bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG), dom Armando Bucciol, bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA), dom Sergio Braschi, bispo de Ponta Grossa (PR), dom Leonardo Steiner, bispo auxiliar de Brasília (DF), além dos assessores da Comissão de Liturgia, Frei Faustino Paludo e padre Carlos Sala. No final, os bispos, por meio de votação, escolheram o hino da Campanha da Fraternidade de 2014.   No debate sobre os cartazes, padre Luiz Carlos, secretário executivo da CF, explicou que desta vez, inicialmente, a coordenação dos trabalhos selecionou um número menor de propostas. Os bispos tiveram tempo para apreciar cada um desses cartazes e, em seguida, fizeram intervenções: dom Joaquim Mol, dom Francisco Biasin, bispo de Barra do Pirai-Volta Redonda (RJ), dom Eduardo Pinheiro, bispo auxiliar de Campo Grande (MS), dom José Belisário, arcebispo de São Luis (MA), dom Pedro Brito, dom Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília (DF), dom Armando Bucciol, dom Sergio Braschi. Os assessores: irmã Maria Eugênia, da Comissão para Educação e Cultura, irmã Élide Fogolari, da Comissão para a Comunicação e padre Nilton Riami, representante da OSIB. No final, o cartaz oficial foi escolhido por meio de votação secreta.   CNBB  
Published in Nacionais
  Os alunos do Instituto Teresa Valsé (ITV), em Uberlândia, MG, vêm colhendo ótimos resultados no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).   Um bom exemplo é Marina Borges Ruguê, nota 1000 na redação do último exame. Quando indagada sobre como foi sua organização e rotina de estudos, ela se lembra: “Eu definia o que deveria estudar no dia e, quando terminava, tinha o meu tempo livre. Não adianta se matar de estudar e negligenciar o resto. Afinal, em uma prova extensa como a do ENEM, o preparo físico conta bastante”. Nos finais de semana, Marina não se preocupava com o que deveria estudar, mas em descansar para repor as energias: “Eu aproveitava para ler revistas, sair, ver televisão, etc”, conta.   Ela também compartilha uma dica que diz ter recebido dos professores no primeiro dia de aula no 3º ano do ensino médio: “Estudar 50 minutos e descansar 10. Isso foi bom porque eu não ficava cansada e rendia mais. Assim, organizava o que eu iria estudar na semana (separando por dias) e seguia esse roteiro.” Quanto ao seu desempenho na redação, Marina o atribui tanto às aulas de redação do ensino fundamental como às produções semanais no ensino médio, com correções que, apesar de lhe renderem alguns sustos, fizeram-na perceber erros e corrigi-los.     “Para ter uma boa variedade de vocabulário, eu diariamente pegava revistas e lia os artigos e editoriais, prestando atenção em como os autores introduziam os textos, nas expressões que eu poderia usar, como apresentar bem as ideias, etc. Peguei também algumas das melhores redações da FUVEST, imprimi os textos e li, grifando palavras que eu poderia usar na minha redação”, acrescenta.   Muitos outros alunos do Instituto Teresa Valsé se destacaram no exame. Entre eles Juliana Bueno, que também recebeu nota 1000 na redação do último ENEM; Ana Beatriz Arantes Araújo, que conquistou o 2º lugar entre os aprovados do curso de Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia; Enrico Temporim Ribeiro, que, ainda cursando o 1º ano do ensino médio, teve o maior desempenho da cidade no PASES de Viçosa (conferindo ao ITV o 1º lugar entre as 917 escolas cadastradas); além do aluno Matheus Pólvore, também do 1º ano do ensino médio, que conseguiu um excelente resultado no ENEM para o curso de Matemática da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).   RSE Informa
Published in Nacionais
Page 5 of 10