Em homenagem ao bicentenário de nascimento de Dom Bosco (1815 – 2015), os padres salesianos Gildásio Mendes e Osmar Bezutte coordenam a gravação de um CD duplo, com músicas inspiradas na vida e na obra de Dom Bosco. Intitulado Dom Bosco, Amigo dos Jovens, o CD está sendo produzido e gravado no estúdio Comep-Paulinas, na cidade de São Paulo, SP. O trabalho tem a participação de diversos artistas católicos, entre os quais as cantoras Dalva Tenório, Andréia Zanardi e Karla Fioravante, integrantes do Grupo Cantores de Deus. De acordo com os padres Gildásio e Osmar, os dois juntos já compuseram 26 canções sobre Dom Bosco. No primeiro CD – patrocinado pela Missão Salesiana de Mato Grosso – será feita a releitura de algumas dessas músicas, já conhecidas pela Família Salesiana, como “O Senhor colocou-nos no mundo” e “Casa na colina”. O segundo disco, subsidiado pela Cisbrasil, apresenta 12 composições inéditas, com ritmos variados que vão desde o rap e pop até o sertanejo. Nele estão canções como “Perto ou longe eu penso em vocês”, “Paralelos 15 e 20”, “Águias jovens”, “Sonho dos 9 anos” e “Hino do Bicentenário” (tradução do espanhol). Os arranjos dos dois CDs estão sob a responsabilidade do maestro Karan. O lançamento está previsto para agosto, mês em que é celebrado o aniversário de Dom Bosco, com um evento em Brasília, DF. (Camila Santos e Marcelo Armôa)
Published in Comunicação
    Crianças e jovens atendidos na Casa Dom Bosco – obra social da Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT), em Campo Grande, MS, participaram da inauguração da imagem de São João Bosco, realizada no dia 17 de maio. A doação da estátua foi feita pelo padre Wilson Pereira, pároco da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, em Campo Grande.   A imagem foi colocada na porta de entrada externa da instituição, acolhendo todos aqueles que chegam à obra social. Estiveram presentes na inauguração o vice-inspetor, padre Edmilson Tadeu dos Santos, representado o inspetor padre Lauro Takaki Shinohara; Me. Samuel Carlos Gomes, diretor da Casa Dom Bosco e Salesianos Ampare; a banda Arautos do Evangelho; colaboradores; além de crianças e adolescentes que são atendidos  na casa.   Após o descerramento da imagem, todos os ambientes receberam um quadro de Nossa Senhora Auxiliadora e de Dom Bosco. Como pede a tradição salesiana, o mês de maio é inteiramente dedicado à Nossa Senhora Auxiliadora. Esta devoção está sendo vivida de forma intensa pelos destinatários da obra social, que iniciaram no mesmo dia a quinta edição dos Jogos Marianos da Casa Dom Bosco.   Para o coordenador da instituição, Antônio Júlio Desmarest, a presença da imagem de Dom Bosco “é um sonho que agora se torna realidade”.   Missão Salesiana de Mato Grosso
Published in Nacionais
A Secretaria de Protocolo da Congregação das Causas dos Santos transmitiu, no dia 22 de março, ao padre Pierluigi Cameroni, postulador geral da Família Salesiana para as causas dos santos, cópia dos “Nada Obsta”, por parte da Santa Sé, datados de 31 de janeiro de 2013, para que sejam iniciados a fase diocesana dos processos de beatificação dos servos de Deus, padre Carlos Braga (1898-1971) e senhor Antonino Baglieri (1951-2007).   Carlos Braga, ficando órfão de mãe, foi confiado às Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), de Tirano,  na Itália, e depois aos salesianos de Sôndrio. Durante a Primeira Guerra Mundial prestou o serviço militar. Depois de encerrado esse capítulo, pediu para ser enviado às Missões no Extremo Oriente. Chegando a Shiu Chow, no Sul da China, conheceu o padre Versiglia, cuja santidade já era conhecida. Em 1930 foi nomeado inspetor salesiano da China: imprimiu notável impulso ao desenvolvimento da obra missionária. Fundou em Pequim a primeira escola salesiana: realizava-se o sonho missionário de Dom Bosco. A obra salesiana, em decidida expansão, viu seus sonhos interrompidos pelo comunismo. Padre Braga dirigiu então sua atenção às Filipinas, onde iniciou a presença salesiana. Em 1955 foi eleito inspetor: profundo otimismo, bondade humana e alegria foram os traços salientes do padre Braga; onde quer que fosse promovia um maravilhoso espírito de família. No dia 9 de fevereiro de 2011 foi apresentado o “supplex libellus” para a abertura da sua causa de beatificação na diocese de Pampanga (Filipinas).   Nino Baglieri nasceu em Modica (Ragusa), comuna italiana da região da Sicília, em 1951. Depois de frequentar as escolas elementares e exercer o ofício de pedreiro, aos 16 anos no dia 6 de maio de 1968 caiu de um andaime de 17 metros. Internado com urgência, Nino se dá conta de que ficará totalmente paralisado: inicia assim a sua caminhada de sofrimento, passando de um hospital a outro, mas sem qualquer melhora. Voltando em 1970 à sua terra natal, iniciam para Nino 10 longos anos de escuridão, solidão, sofrimento e desesperança. No dia 24 de março de 1978, sexta-feira Santa, às 16 horas, um grupo de pessoas do movimento Renovação no Espírito reza por ele: Nino sente-se transformado. Desde aquele momento aceita a Cruz e diz o seu “sim” a Deus. Começa a ler o Evangelho e a Bíblia: descobre as maravilhas da fé. Ajudando crianças a fazer tarefas de escola, aprende a escrever com a boca. Reconta assim as suas memórias, escreve cartas a pessoas de todas as categorias em várias partes do mundo, personaliza imagens-lembranças que presenteia a quantos o vão visitar. De 6 de maio de 1982  diante, Nino festeja o Aniversário da Cruz e no mesmo ano entra para a Família Salesian como cooperador. No dia 31 de agosto de 2004 faz a Profissão Perpétua no grupo dos Voluntários com Dom Bosco (CDB). No dia 2 de março de 2007, às 8 horas, Nino Baglieri entrega  sua alma a Deus. Depois da morte, foi revestido com o uniforme e as sapatilhas de ginástica, a fim de que, como dissera, “na minha última viagem para Deus, eu possa correr-lhe ao encontro”. No dia 3 de março de 2012 foi apresentado o “supplex libellus” para o início da sua causa de beatificação na Diocese de Noto, em Siracusa (Sicília).   InfoANS      
Published in Internacionais
Renovou-se no Colle Don Bosco, Itália, o envio missionário que, nos últimos anos, reúne os jovens empenhados no voluntariado e os missionários de partida, religiosos e leigos, Salesianos e Filhas de Maria Auxiliadora (FMA). Durante a celebração, o  reitor-mor, padre Pascual Chávez Villanueva, falou  sobre as finalidades educativas de Dom Bosco, a realidade atual dos jovens e as atitudes do missionário. Padre Pascual Chávez lembrou que, para Dom Bosco, a alegria, a música e o lazer eram meios de se chegar aos jovens e propor-lhes que “fossem felizes no tempo e na eternidade”. Uma felicidade que hoje os jovens não buscam mais, ou que confundem com uma autorrealização imediata. O reitor-mor ressaltou também que os jovens atualmente vivem em uma condição mista de indiferença e impotência e enfatizou que, muitas vezes, as relações virtuais esvaziam as amizades reais.  Padre Pascual Chávez indicou aos missionários algumas atitudes para serem as "sementes de Verdade" presentes nas outras realidades, como o diálogo: “Acima de tudo, quem anuncia o Evangelho deve saber descobrir os pontos de contato com os outros para neles enxertar, diria quase naturalmente, a mensagem da salvação. Só assim a fé não se tornará nunca ‘polêmica’ e marginalizadora, e sim agregadora e caridosa, e por isso sempre aberta ao diálogo intercultural e inter-religioso".  Após a homilia realizou-se a entrega do Crucifixo missionário a 45 Salesianos de Dom Bosco, 15 Filhas de Maria Auxiliadora e 11 leigos italianos e poloneses. Um gesto que recordou como, em 11 de novembro de 1875, Dom Bosco confiou a mesma missão aos primeiros salesianos de saída para a Patagônia argentina: serem sinais e portadores do amor de Deus aos jovens. InfoANS
Published in Missões
Em homenagem ao bicentenário de nascimento de Dom Bosco (1815 – 2015), os padres salesianos Gildásio Mendes e Osmar Bezutte coordenam a gravação de um CD duplo, com músicas inspiradas na vida e na obra de Dom Bosco. Intitulado Dom Bosco, Amigo dos Jovens, o CD está sendo produzido e gravado no estúdio Comep-Paulinas, na cidade de São Paulo, SP. O trabalho tem a participação de diversos artistas católicos, entre os quais as cantoras Dalva Tenório, Andréia Zanardi e Karla Fioravante, integrantes do Grupo Cantores de Deus. De acordo com os padres Gildásio e Osmar, os dois juntos já compuseram 26 canções sobre Dom Bosco. No primeiro CD – patrocinado pela Missão Salesiana de Mato Grosso – será feita a releitura de algumas dessas músicas, já conhecidas pela Família Salesiana, como “O Senhor colocou-nos no mundo” e “Casa na colina”. O segundo disco, subsidiado pela Cisbrasil, apresenta 12 composições inéditas, com ritmos variados que vão desde o rap e pop até o sertanejo. Nele estão canções como “Perto ou longe eu penso em vocês”, “Paralelos 15 e 20”, “Águias jovens”, “Sonho dos 9 anos” e “Hino do Bicentenário” (tradução do espanhol). Os arranjos dos dois CDs estão sob a responsabilidade do maestro Karan. O lançamento está previsto para agosto, mês em que é celebrado o aniversário de Dom Bosco, com um evento em Brasília, DF. (Camila Santos e Marcelo Armôa)
Published in Comunicação
    Crianças e jovens atendidos na Casa Dom Bosco – obra social da Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT), em Campo Grande, MS, participaram da inauguração da imagem de São João Bosco, realizada no dia 17 de maio. A doação da estátua foi feita pelo padre Wilson Pereira, pároco da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, em Campo Grande.   A imagem foi colocada na porta de entrada externa da instituição, acolhendo todos aqueles que chegam à obra social. Estiveram presentes na inauguração o vice-inspetor, padre Edmilson Tadeu dos Santos, representado o inspetor padre Lauro Takaki Shinohara; Me. Samuel Carlos Gomes, diretor da Casa Dom Bosco e Salesianos Ampare; a banda Arautos do Evangelho; colaboradores; além de crianças e adolescentes que são atendidos  na casa.   Após o descerramento da imagem, todos os ambientes receberam um quadro de Nossa Senhora Auxiliadora e de Dom Bosco. Como pede a tradição salesiana, o mês de maio é inteiramente dedicado à Nossa Senhora Auxiliadora. Esta devoção está sendo vivida de forma intensa pelos destinatários da obra social, que iniciaram no mesmo dia a quinta edição dos Jogos Marianos da Casa Dom Bosco.   Para o coordenador da instituição, Antônio Júlio Desmarest, a presença da imagem de Dom Bosco “é um sonho que agora se torna realidade”.   Missão Salesiana de Mato Grosso
Published in Nacionais
A Secretaria de Protocolo da Congregação das Causas dos Santos transmitiu, no dia 22 de março, ao padre Pierluigi Cameroni, postulador geral da Família Salesiana para as causas dos santos, cópia dos “Nada Obsta”, por parte da Santa Sé, datados de 31 de janeiro de 2013, para que sejam iniciados a fase diocesana dos processos de beatificação dos servos de Deus, padre Carlos Braga (1898-1971) e senhor Antonino Baglieri (1951-2007).   Carlos Braga, ficando órfão de mãe, foi confiado às Filhas de Maria Auxiliadora (FMA), de Tirano,  na Itália, e depois aos salesianos de Sôndrio. Durante a Primeira Guerra Mundial prestou o serviço militar. Depois de encerrado esse capítulo, pediu para ser enviado às Missões no Extremo Oriente. Chegando a Shiu Chow, no Sul da China, conheceu o padre Versiglia, cuja santidade já era conhecida. Em 1930 foi nomeado inspetor salesiano da China: imprimiu notável impulso ao desenvolvimento da obra missionária. Fundou em Pequim a primeira escola salesiana: realizava-se o sonho missionário de Dom Bosco. A obra salesiana, em decidida expansão, viu seus sonhos interrompidos pelo comunismo. Padre Braga dirigiu então sua atenção às Filipinas, onde iniciou a presença salesiana. Em 1955 foi eleito inspetor: profundo otimismo, bondade humana e alegria foram os traços salientes do padre Braga; onde quer que fosse promovia um maravilhoso espírito de família. No dia 9 de fevereiro de 2011 foi apresentado o “supplex libellus” para a abertura da sua causa de beatificação na diocese de Pampanga (Filipinas).   Nino Baglieri nasceu em Modica (Ragusa), comuna italiana da região da Sicília, em 1951. Depois de frequentar as escolas elementares e exercer o ofício de pedreiro, aos 16 anos no dia 6 de maio de 1968 caiu de um andaime de 17 metros. Internado com urgência, Nino se dá conta de que ficará totalmente paralisado: inicia assim a sua caminhada de sofrimento, passando de um hospital a outro, mas sem qualquer melhora. Voltando em 1970 à sua terra natal, iniciam para Nino 10 longos anos de escuridão, solidão, sofrimento e desesperança. No dia 24 de março de 1978, sexta-feira Santa, às 16 horas, um grupo de pessoas do movimento Renovação no Espírito reza por ele: Nino sente-se transformado. Desde aquele momento aceita a Cruz e diz o seu “sim” a Deus. Começa a ler o Evangelho e a Bíblia: descobre as maravilhas da fé. Ajudando crianças a fazer tarefas de escola, aprende a escrever com a boca. Reconta assim as suas memórias, escreve cartas a pessoas de todas as categorias em várias partes do mundo, personaliza imagens-lembranças que presenteia a quantos o vão visitar. De 6 de maio de 1982  diante, Nino festeja o Aniversário da Cruz e no mesmo ano entra para a Família Salesian como cooperador. No dia 31 de agosto de 2004 faz a Profissão Perpétua no grupo dos Voluntários com Dom Bosco (CDB). No dia 2 de março de 2007, às 8 horas, Nino Baglieri entrega  sua alma a Deus. Depois da morte, foi revestido com o uniforme e as sapatilhas de ginástica, a fim de que, como dissera, “na minha última viagem para Deus, eu possa correr-lhe ao encontro”. No dia 3 de março de 2012 foi apresentado o “supplex libellus” para o início da sua causa de beatificação na Diocese de Noto, em Siracusa (Sicília).   InfoANS      
Published in Internacionais
Renovou-se no Colle Don Bosco, Itália, o envio missionário que, nos últimos anos, reúne os jovens empenhados no voluntariado e os missionários de partida, religiosos e leigos, Salesianos e Filhas de Maria Auxiliadora (FMA). Durante a celebração, o  reitor-mor, padre Pascual Chávez Villanueva, falou  sobre as finalidades educativas de Dom Bosco, a realidade atual dos jovens e as atitudes do missionário. Padre Pascual Chávez lembrou que, para Dom Bosco, a alegria, a música e o lazer eram meios de se chegar aos jovens e propor-lhes que “fossem felizes no tempo e na eternidade”. Uma felicidade que hoje os jovens não buscam mais, ou que confundem com uma autorrealização imediata. O reitor-mor ressaltou também que os jovens atualmente vivem em uma condição mista de indiferença e impotência e enfatizou que, muitas vezes, as relações virtuais esvaziam as amizades reais.  Padre Pascual Chávez indicou aos missionários algumas atitudes para serem as "sementes de Verdade" presentes nas outras realidades, como o diálogo: “Acima de tudo, quem anuncia o Evangelho deve saber descobrir os pontos de contato com os outros para neles enxertar, diria quase naturalmente, a mensagem da salvação. Só assim a fé não se tornará nunca ‘polêmica’ e marginalizadora, e sim agregadora e caridosa, e por isso sempre aberta ao diálogo intercultural e inter-religioso".  Após a homilia realizou-se a entrega do Crucifixo missionário a 45 Salesianos de Dom Bosco, 15 Filhas de Maria Auxiliadora e 11 leigos italianos e poloneses. Um gesto que recordou como, em 11 de novembro de 1875, Dom Bosco confiou a mesma missão aos primeiros salesianos de saída para a Patagônia argentina: serem sinais e portadores do amor de Deus aos jovens. InfoANS
Published in Missões