Missões: "é muito importante educar um povo..."

Friday, 25 October 2019 16:19 Written by  Agência Info Salesiana
Duas novas instalações foram inauguradas para que os jovens Achuar possam estudar. Saiba mais no Boletim Salesiano!


Quando o padre Luís (Luigi) Bolla deixou o Equador e partiu para o Peru, escolheu Kuyuntsa e Sanhiick como sua residência, testemunhando que sua única preocupação era humanizar, evangelizar e educar. Hoje, cinco anos após sua partida para o céu, Yánkuam'Jintia , como foi chamado, ainda está vivo nos salesianos que continuam seu trabalho e que anunciam hoje: "Com alegria podemos comunicar que em Kuyuntsa inauguramos dois estágios, um deles para meninos e outro para meninas ".

Padre Raúl Acuña descreve a inauguração das duas instalações para jovens Achuar, que ocorreram no sábado, 12 de outubro. "Com a ajuda de uma ONG alemã, construímos dois estágios para jovens que vêm a Kuyuntsa para estudar. De um poço que trouxemos água potável, usamos energia solar e é um lugar para treinar e estudar”.

A educação é o compromisso prototípico dos salesianos de Dom Bosco e de outros institutos e congregações da Família Salesiana; como, por exemplo, Le Discepole, um instituto fundado na Índia pelo padre Joseph D'Souza, SDB. "Eles cuidarão desse grande trabalho no meio da floresta amazônica e, para eles, construímos a casa da comunidade".

O inspetor padre Manolo Cayo chegou a Kuyuntsa para a inauguração após algumas horas de viagem pelos rios. Também participaram o padre Raúl Acuña, diretor do Escritório de Projetos; Roswitha Maus, gerente de projetos da ONG salesiana Dom Bosco Mondo, em Bonn, Alemanha; padre Diego Clavijo, missionário na área, entre outros. "Esses trabalhos não seriam possíveis sem o apoio de Dom Bosco Mondo, o Ministério Federal de Cooperação e Desenvolvimento Econômico da Alemanha e o Escritório Missionário Salesiano do Peru", afirmou o padre Acuña.

Chegar a Kuyuntsa não é fácil. É uma jornada longa e difícil que exige sacrifícios,  “mas é resultado do desejo de melhorar a situação de vida das comunidades indígenas achuar através da educação e do desenvolvimento de suas habilidades - acrescentou o padre Acuña -. Por isso, começamos a cultivar em terras virgens, para melhorar a dieta dos habitantes e ensiná-los que eles não comem apenas mandioca e banana”.  Em pouco tempo, os jovens aprenderam a cultivar arroz, milho e feijão e estão plantando novas árvores.

A educação também deriva o conhecimento de seus direitos e, por isso, os salesianos criaram um projeto de treinamento especial: Direitos humanos e identidade dos povos.

Depois de mais de 50 anos entre os povos indígenas, a voz do padre Bolla ressoa tão atual e presente a Kuyuntsa: "É muito importante educar um povo ... Pensando no futuro de suas comunidades".


Fonte: Agência Info Salesiana

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Friday, 25 October 2019 16:29

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Missões: "é muito importante educar um povo..."

Friday, 25 October 2019 16:19 Written by  Agência Info Salesiana
Duas novas instalações foram inauguradas para que os jovens Achuar possam estudar. Saiba mais no Boletim Salesiano!


Quando o padre Luís (Luigi) Bolla deixou o Equador e partiu para o Peru, escolheu Kuyuntsa e Sanhiick como sua residência, testemunhando que sua única preocupação era humanizar, evangelizar e educar. Hoje, cinco anos após sua partida para o céu, Yánkuam'Jintia , como foi chamado, ainda está vivo nos salesianos que continuam seu trabalho e que anunciam hoje: "Com alegria podemos comunicar que em Kuyuntsa inauguramos dois estágios, um deles para meninos e outro para meninas ".

Padre Raúl Acuña descreve a inauguração das duas instalações para jovens Achuar, que ocorreram no sábado, 12 de outubro. "Com a ajuda de uma ONG alemã, construímos dois estágios para jovens que vêm a Kuyuntsa para estudar. De um poço que trouxemos água potável, usamos energia solar e é um lugar para treinar e estudar”.

A educação é o compromisso prototípico dos salesianos de Dom Bosco e de outros institutos e congregações da Família Salesiana; como, por exemplo, Le Discepole, um instituto fundado na Índia pelo padre Joseph D'Souza, SDB. "Eles cuidarão desse grande trabalho no meio da floresta amazônica e, para eles, construímos a casa da comunidade".

O inspetor padre Manolo Cayo chegou a Kuyuntsa para a inauguração após algumas horas de viagem pelos rios. Também participaram o padre Raúl Acuña, diretor do Escritório de Projetos; Roswitha Maus, gerente de projetos da ONG salesiana Dom Bosco Mondo, em Bonn, Alemanha; padre Diego Clavijo, missionário na área, entre outros. "Esses trabalhos não seriam possíveis sem o apoio de Dom Bosco Mondo, o Ministério Federal de Cooperação e Desenvolvimento Econômico da Alemanha e o Escritório Missionário Salesiano do Peru", afirmou o padre Acuña.

Chegar a Kuyuntsa não é fácil. É uma jornada longa e difícil que exige sacrifícios,  “mas é resultado do desejo de melhorar a situação de vida das comunidades indígenas achuar através da educação e do desenvolvimento de suas habilidades - acrescentou o padre Acuña -. Por isso, começamos a cultivar em terras virgens, para melhorar a dieta dos habitantes e ensiná-los que eles não comem apenas mandioca e banana”.  Em pouco tempo, os jovens aprenderam a cultivar arroz, milho e feijão e estão plantando novas árvores.

A educação também deriva o conhecimento de seus direitos e, por isso, os salesianos criaram um projeto de treinamento especial: Direitos humanos e identidade dos povos.

Depois de mais de 50 anos entre os povos indígenas, a voz do padre Bolla ressoa tão atual e presente a Kuyuntsa: "É muito importante educar um povo ... Pensando no futuro de suas comunidades".


Fonte: Agência Info Salesiana

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Friday, 25 October 2019 16:29

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.