Salesianos: Dedicação, entusiasmo, amor e serviço às juventudes

Wednesday, 19 August 2020 13:30 Written by  Redação Boletim Salesiano
Salesianos: Dedicação, entusiasmo, amor e serviço às juventudes Cosimo Musio/Casa Geral Salesiana
A Sociedade de São Francisco de Sales – Congregação dos Salesianos de Dom Bosco - busca realizar em uma forma específica de vida religiosa o projeto apostólico do fundador: ser na Igreja sinais e portadores do amor de Deus aos jovens, especialmente aos mais pobres.  

“Vindos de todos os continentes, traçamos o mapa salesiano com nosso amor pelos jovens. Um mapa sempre novo, porque desenhado com as cores e a beleza do carisma salesiano. E sempre aberto, sem fronteiras, porque acolhe todos os jovens, especialmente os mais pobres e necessitados”, afirma o conselheiro geral para a Comunicação, padre Gildásio Mendes dos Santos, na mensagem de apresentação do mapa da presença dos Salesianos de Dom Bosco (SDB) no mundo. Atualmente, há 14.476 Salesianos, entre bispos, padres, irmãos, estudantes e noviços. Só no Brasil, são 652, em 93 presenças espalhadas pelas seis inspetorias nacionais, com sedes em Manaus, AM, Campo Grande, MS, Belo Horizonte, MG, Recife, PE, São Paulo, SP e Porto Alegre, RS.

 

Mas o que diferencia a vocação do Salesiano de Dom Bosco em relação a outras congregações? Padre Wagner Luís Galvão, referente Nacional para a Pastoral Juvenil e delegado inspetorial para a Pastoral Vocacional da Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT), explica que o Salesiano é aquele que segue o carisma de São João Bosco, dedicando-se à juventude, seja como padre ou como irmão. “Dom Bosco, quando pensou a nossa congregação, pensou de um jeito que brotou do seu coração, de um desejo de cuidado com os jovens, as crianças e suas famílias, ensinando-lhes e propondo-lhes um caminho de fé. Ser Salesiano é diferente de outras congregações pelo nosso jeito de ser Igreja, um jeito muito familiar, de alegria, de acolhida, voltado especialmente para o jovem”.

 

Neste sentido, a Pastoral Vocacional assume uma grande importância na Congregação, pois é o que vai ajudar o jovem a encontrar seu projeto de vida. “Desde o tempo de Dom Bosco, ele já ajudava os jovens a pensar em que estado de vida queriam viver. Havia os que tinham inclinação para o casamento e para constituir família, e outros que tinham o desejo de servir a Deus como sacerdotes ou como irmãos. Nós Salesianos, a exemplo de Dom Bosco, somos chamados a incentivar os jovens a pensarem o seu projeto de vida. Os encontros, retiros, missas, grupos de jovens e tudo mais que promovemos, junto com os leigos colaboradores, deveria ter o intuito de ajudar o jovem a encontrar o próprio caminho, a própria vocação”, considera padre Wagner.

 

Animação Vocacional e Pastoral Juvenil

Para o padre Sérgio Ramos de Souza, delegado para a Pastoral Juvenil Salesiana e responsável pela Animação Vocacional e Missionária na Inspetoria São Pio X, ajudar o jovem no discernimento vocacional é um grande desafio para a Igreja e, em especial, para a Congregação Salesiana. “Deus chama no contexto em que estamos inseridos. O nosso desafio é escutar essa voz de Deus no meio de tantas outras vozes do mundo que nos falam”, afirma ele. Relembrando o Sínodo sobre a juventude, realizado em 2018, padre Sérgio explica que um dos temas discutidos foi sobre como a Igreja pode acompanhar o jovem no amadurecimento de seu projeto de vida, em um processo de fé. “O discernimento é um processo. A escolha é só um passo, lá no final. Depois do acompanhamento e de perceber para o que Deus nos chama é que damos uma resposta a esse chamado. Nesse processo de discernimento são fundamentais as pessoas que possam ajudar nesse acompanhamento e isso é um grande desafio para a Igreja e para a Congregação”.

 

Padre Sérgio ressalta, entretanto, que a animação vocacional não pode ser restrita a um grupo, e que é fundamental criar uma cultura e um ambiente vocacionais onde o jovem possa fazer esse discernimento. “Algumas pessoas vão exercer esse trabalho de forma específica, mas todos têm que se sentir inseridos, abraçar juntos a causa. Esse é o grande desafio da cultura vocacional hoje”.

 

Ele também destaca que a animação vocacional não é separada de uma Pastoral Juvenil consistente. “A Pastoral Juvenil tem que ter uma intencionalidade vocacional muito clara. Essa foi a proposta de Dom Bosco no oratório. Por trás de tudo que ele fazia tinha uma intenção de que os jovens fossem felizes no seu projeto de vida”, considera ele. Sempre pensando na vocação em um sentido amplo, já que todas as vocações são complementares na vida da Igreja, mas sem esquecer de apresentar a vocação religiosa como uma possibilidade.

 

Na Inspetoria São Pio X, como acontece também em outras regiões do País, as Semanas Missionárias são momentos fortes de animação vocacional, nos quais os jovens, no serviço ao próximo, começam a se questionar sobre seu projeto de vida e a pensar, inclusive, na possibilidade da vocação salesiana. “Tivemos agora uma experiência missionária online, já que não foi possível fazer fisicamente por causa da pandemia do coronavírus, com a participação de cerca de 350 jovens nas atividades. Dessa experiência, 30 vão continuar o acompanhamento vocacional. São jovens que começam a pensar a vocação a partir do serviço, da doação, do encontro com outras pessoas”, reflete padre Sérgio.

 

Veja no BS Digital

Salesianos falam sobre como vivem a sua vocação. Veja os vídeos!

Cristo Vive! As palavras do Papa Francisco sobre discernimento vocacional

 

O que atrai é o exemplo

Também segundo o delegado inspetorial de Animação Missionária e coordenador do Serviço de Animação Vocacional da Inspetoria de São Paulo, padre Rafael Galvão Barbosa, as semanas missionárias e a convivência salesiana são fundamentais para despertar vocações. “O acompanhamento vocacional precisa de vivências”, afirma ele, “porque o que atrai o jovem é o exemplo de vida, é o garoto olhar para nós, no meio dos jovens, e com esse olhar ele se inspira e pensa que quer viver igual”.

 

Ao falar para os jovens sobre o que é ser Salesiano, padre Rafael costuma usar o exemplo do bom samaritano: “O Salesiano é aquele que vê um jovem em dificuldade e vai ajudar. Ele vê Jesus com fome, preso e necessitado no rosto dos jovens. E a nossa vocação primeira é ser Salesiano, depois é que vem a definição se vai ser Salesiano padre ou Salesiano irmão”, completa.

 

Questionado sobre se há uma diminuição nas vocações religiosas, padre Rafael afirma que somos frutos do nosso tempo e o que está em crise não é a vocação, mas o “comprometer-se”: “Essa é a geração da selfie, do olhar só para si, e a vocação, necessariamente, é olhar para o outro. Temos crise de vocação matrimonial, de vocação profissional, da vocação de ser mãe... porque há uma crise das palavras ‘sacrifício’ e ‘entrega’ em um mundo que prega o individualismo, o imediatismo e o prazer. Por isso que essas experiências de convivência são tão importantes no caminho vocacional”.

 

Padre Rafael toma sua própria experiência para dizer que hoje se sente feliz e realizado como Salesiano, mas teve de aprender a diferença entre a felicidade e a alegria passageira: “A felicidade não é um momento alegre, é a realização de vida. É ter noção que estou gastando a minha vida com algo que vale a pena. É o que faz uma mãe dedicada, um professor ou o Salesiano que tem esta vocação”, reflete. Como mensagem aos jovens, ele pede que vençam preconceitos e considerem a vocação religiosa como uma possibilidade concreta de ser feliz. “Muita gente acha que fazer uma caminhada vocacional é entrar no ‘armário de Nárnia’ e sair do outro lado completamente transformado, fora da vida real, e não é assim. A pessoa que sente o chamado para a vida religiosa e se permite fazer a experiência da caminhada vocacional não está fugindo do mundo; está discernindo como vai colaborar nesse mundo”, conclui.

 

Portal vocacional

Para auxiliar o trabalho da Pastoral Vocacional de acompanhar, incentivar e promover as vocações para a Família Salesiana de forma geral e, especificamente, para os Salesianos de Dom Bosco, a Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT) lançou no início deste ano um portal. “Muitas vocações vêm através dos Salesianos que acompanham os diversos grupos de pastoral juvenil, nas escolas, nas obras e às vezes também através das redes sociais. Isso foi algo que nos motivou a fazer esse portal. Havia uma grande procura de jovens que não eram de nossas presenças, mas desejavam conhecer o caminho vocacional e o carisma salesiano”, explica Jaqueline Mendonça, assessora da Pastoral Vocacional da MSMT.

 

“Havia a necessidade de divulgar melhor o trabalho vocacional e de possibilitar que esses jovens que estão além da nossa realidade pudessem ter acesso a esse conteúdo”, prossegue Jaqueline. A proposta então foi criar um portal muito informativo, com subsídios e materiais que ajudam a entender a espiritualidade da Família Salesiana, a vocação do salesiano padre e do salesiano irmão e as características de cada etapa formativa (Aspirantado, Pré-noviciado, Noviciado, Pós-noviciado, Tirocínio e Teologia – para os que serão padres – ou formação específica – para os que se tornarão irmãos). Mensalmente é lançado também um subsídio de acompanhamento vocacional e estão disponíveis ainda e-books de formação e espiritualidade. O site é um trabalho em conjunto com o setor de comunicação da inspetoria, que assim como o site desenvolvem mensalmente campanhas de promoção vocacional, divulgação do carisma salesianos e promovem esse “encontro” nos meios virtuais com os jovens.

 

“Especialmente neste período pandêmico, a utilização das redes sociais se tornou indispensável, temos que pensar nossas atividades e entre elas a promoção vocacional, dentro das redes sociais, era uma realidade já esperada, mas que foi de certa forma adiantada com a pandemia, e a aceitação juvenil está sendo muito boa, muitos dos nossos vocacionas despertam para o discernimento vocacional a partir dos nossos materiais. Lógico que as redes sociais são um um meio de primeiro encontro, que após deve ser acompanhado pela equipe da pavoc e salesianos responsáveis” , destaca  Aline Passos, delegada inspetorial para a Comunicação social da inspetoria. Para saber mais acesse o portal em: http://vocacaomsmt.org.br/#

Rate this item
(1 Vote)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


Salesianos: Dedicação, entusiasmo, amor e serviço às juventudes

Wednesday, 19 August 2020 13:30 Written by  Redação Boletim Salesiano
Salesianos: Dedicação, entusiasmo, amor e serviço às juventudes Cosimo Musio/Casa Geral Salesiana
A Sociedade de São Francisco de Sales – Congregação dos Salesianos de Dom Bosco - busca realizar em uma forma específica de vida religiosa o projeto apostólico do fundador: ser na Igreja sinais e portadores do amor de Deus aos jovens, especialmente aos mais pobres.  

“Vindos de todos os continentes, traçamos o mapa salesiano com nosso amor pelos jovens. Um mapa sempre novo, porque desenhado com as cores e a beleza do carisma salesiano. E sempre aberto, sem fronteiras, porque acolhe todos os jovens, especialmente os mais pobres e necessitados”, afirma o conselheiro geral para a Comunicação, padre Gildásio Mendes dos Santos, na mensagem de apresentação do mapa da presença dos Salesianos de Dom Bosco (SDB) no mundo. Atualmente, há 14.476 Salesianos, entre bispos, padres, irmãos, estudantes e noviços. Só no Brasil, são 652, em 93 presenças espalhadas pelas seis inspetorias nacionais, com sedes em Manaus, AM, Campo Grande, MS, Belo Horizonte, MG, Recife, PE, São Paulo, SP e Porto Alegre, RS.

 

Mas o que diferencia a vocação do Salesiano de Dom Bosco em relação a outras congregações? Padre Wagner Luís Galvão, referente Nacional para a Pastoral Juvenil e delegado inspetorial para a Pastoral Vocacional da Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT), explica que o Salesiano é aquele que segue o carisma de São João Bosco, dedicando-se à juventude, seja como padre ou como irmão. “Dom Bosco, quando pensou a nossa congregação, pensou de um jeito que brotou do seu coração, de um desejo de cuidado com os jovens, as crianças e suas famílias, ensinando-lhes e propondo-lhes um caminho de fé. Ser Salesiano é diferente de outras congregações pelo nosso jeito de ser Igreja, um jeito muito familiar, de alegria, de acolhida, voltado especialmente para o jovem”.

 

Neste sentido, a Pastoral Vocacional assume uma grande importância na Congregação, pois é o que vai ajudar o jovem a encontrar seu projeto de vida. “Desde o tempo de Dom Bosco, ele já ajudava os jovens a pensar em que estado de vida queriam viver. Havia os que tinham inclinação para o casamento e para constituir família, e outros que tinham o desejo de servir a Deus como sacerdotes ou como irmãos. Nós Salesianos, a exemplo de Dom Bosco, somos chamados a incentivar os jovens a pensarem o seu projeto de vida. Os encontros, retiros, missas, grupos de jovens e tudo mais que promovemos, junto com os leigos colaboradores, deveria ter o intuito de ajudar o jovem a encontrar o próprio caminho, a própria vocação”, considera padre Wagner.

 

Animação Vocacional e Pastoral Juvenil

Para o padre Sérgio Ramos de Souza, delegado para a Pastoral Juvenil Salesiana e responsável pela Animação Vocacional e Missionária na Inspetoria São Pio X, ajudar o jovem no discernimento vocacional é um grande desafio para a Igreja e, em especial, para a Congregação Salesiana. “Deus chama no contexto em que estamos inseridos. O nosso desafio é escutar essa voz de Deus no meio de tantas outras vozes do mundo que nos falam”, afirma ele. Relembrando o Sínodo sobre a juventude, realizado em 2018, padre Sérgio explica que um dos temas discutidos foi sobre como a Igreja pode acompanhar o jovem no amadurecimento de seu projeto de vida, em um processo de fé. “O discernimento é um processo. A escolha é só um passo, lá no final. Depois do acompanhamento e de perceber para o que Deus nos chama é que damos uma resposta a esse chamado. Nesse processo de discernimento são fundamentais as pessoas que possam ajudar nesse acompanhamento e isso é um grande desafio para a Igreja e para a Congregação”.

 

Padre Sérgio ressalta, entretanto, que a animação vocacional não pode ser restrita a um grupo, e que é fundamental criar uma cultura e um ambiente vocacionais onde o jovem possa fazer esse discernimento. “Algumas pessoas vão exercer esse trabalho de forma específica, mas todos têm que se sentir inseridos, abraçar juntos a causa. Esse é o grande desafio da cultura vocacional hoje”.

 

Ele também destaca que a animação vocacional não é separada de uma Pastoral Juvenil consistente. “A Pastoral Juvenil tem que ter uma intencionalidade vocacional muito clara. Essa foi a proposta de Dom Bosco no oratório. Por trás de tudo que ele fazia tinha uma intenção de que os jovens fossem felizes no seu projeto de vida”, considera ele. Sempre pensando na vocação em um sentido amplo, já que todas as vocações são complementares na vida da Igreja, mas sem esquecer de apresentar a vocação religiosa como uma possibilidade.

 

Na Inspetoria São Pio X, como acontece também em outras regiões do País, as Semanas Missionárias são momentos fortes de animação vocacional, nos quais os jovens, no serviço ao próximo, começam a se questionar sobre seu projeto de vida e a pensar, inclusive, na possibilidade da vocação salesiana. “Tivemos agora uma experiência missionária online, já que não foi possível fazer fisicamente por causa da pandemia do coronavírus, com a participação de cerca de 350 jovens nas atividades. Dessa experiência, 30 vão continuar o acompanhamento vocacional. São jovens que começam a pensar a vocação a partir do serviço, da doação, do encontro com outras pessoas”, reflete padre Sérgio.

 

Veja no BS Digital

Salesianos falam sobre como vivem a sua vocação. Veja os vídeos!

Cristo Vive! As palavras do Papa Francisco sobre discernimento vocacional

 

O que atrai é o exemplo

Também segundo o delegado inspetorial de Animação Missionária e coordenador do Serviço de Animação Vocacional da Inspetoria de São Paulo, padre Rafael Galvão Barbosa, as semanas missionárias e a convivência salesiana são fundamentais para despertar vocações. “O acompanhamento vocacional precisa de vivências”, afirma ele, “porque o que atrai o jovem é o exemplo de vida, é o garoto olhar para nós, no meio dos jovens, e com esse olhar ele se inspira e pensa que quer viver igual”.

 

Ao falar para os jovens sobre o que é ser Salesiano, padre Rafael costuma usar o exemplo do bom samaritano: “O Salesiano é aquele que vê um jovem em dificuldade e vai ajudar. Ele vê Jesus com fome, preso e necessitado no rosto dos jovens. E a nossa vocação primeira é ser Salesiano, depois é que vem a definição se vai ser Salesiano padre ou Salesiano irmão”, completa.

 

Questionado sobre se há uma diminuição nas vocações religiosas, padre Rafael afirma que somos frutos do nosso tempo e o que está em crise não é a vocação, mas o “comprometer-se”: “Essa é a geração da selfie, do olhar só para si, e a vocação, necessariamente, é olhar para o outro. Temos crise de vocação matrimonial, de vocação profissional, da vocação de ser mãe... porque há uma crise das palavras ‘sacrifício’ e ‘entrega’ em um mundo que prega o individualismo, o imediatismo e o prazer. Por isso que essas experiências de convivência são tão importantes no caminho vocacional”.

 

Padre Rafael toma sua própria experiência para dizer que hoje se sente feliz e realizado como Salesiano, mas teve de aprender a diferença entre a felicidade e a alegria passageira: “A felicidade não é um momento alegre, é a realização de vida. É ter noção que estou gastando a minha vida com algo que vale a pena. É o que faz uma mãe dedicada, um professor ou o Salesiano que tem esta vocação”, reflete. Como mensagem aos jovens, ele pede que vençam preconceitos e considerem a vocação religiosa como uma possibilidade concreta de ser feliz. “Muita gente acha que fazer uma caminhada vocacional é entrar no ‘armário de Nárnia’ e sair do outro lado completamente transformado, fora da vida real, e não é assim. A pessoa que sente o chamado para a vida religiosa e se permite fazer a experiência da caminhada vocacional não está fugindo do mundo; está discernindo como vai colaborar nesse mundo”, conclui.

 

Portal vocacional

Para auxiliar o trabalho da Pastoral Vocacional de acompanhar, incentivar e promover as vocações para a Família Salesiana de forma geral e, especificamente, para os Salesianos de Dom Bosco, a Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT) lançou no início deste ano um portal. “Muitas vocações vêm através dos Salesianos que acompanham os diversos grupos de pastoral juvenil, nas escolas, nas obras e às vezes também através das redes sociais. Isso foi algo que nos motivou a fazer esse portal. Havia uma grande procura de jovens que não eram de nossas presenças, mas desejavam conhecer o caminho vocacional e o carisma salesiano”, explica Jaqueline Mendonça, assessora da Pastoral Vocacional da MSMT.

 

“Havia a necessidade de divulgar melhor o trabalho vocacional e de possibilitar que esses jovens que estão além da nossa realidade pudessem ter acesso a esse conteúdo”, prossegue Jaqueline. A proposta então foi criar um portal muito informativo, com subsídios e materiais que ajudam a entender a espiritualidade da Família Salesiana, a vocação do salesiano padre e do salesiano irmão e as características de cada etapa formativa (Aspirantado, Pré-noviciado, Noviciado, Pós-noviciado, Tirocínio e Teologia – para os que serão padres – ou formação específica – para os que se tornarão irmãos). Mensalmente é lançado também um subsídio de acompanhamento vocacional e estão disponíveis ainda e-books de formação e espiritualidade. O site é um trabalho em conjunto com o setor de comunicação da inspetoria, que assim como o site desenvolvem mensalmente campanhas de promoção vocacional, divulgação do carisma salesianos e promovem esse “encontro” nos meios virtuais com os jovens.

 

“Especialmente neste período pandêmico, a utilização das redes sociais se tornou indispensável, temos que pensar nossas atividades e entre elas a promoção vocacional, dentro das redes sociais, era uma realidade já esperada, mas que foi de certa forma adiantada com a pandemia, e a aceitação juvenil está sendo muito boa, muitos dos nossos vocacionas despertam para o discernimento vocacional a partir dos nossos materiais. Lógico que as redes sociais são um um meio de primeiro encontro, que após deve ser acompanhado pela equipe da pavoc e salesianos responsáveis” , destaca  Aline Passos, delegada inspetorial para a Comunicação social da inspetoria. Para saber mais acesse o portal em: http://vocacaomsmt.org.br/#

Rate this item
(1 Vote)

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.