CF 2017: conhecer e preservar

Wednesday, 01 March 2017 13:42 Written by 
Iniciada em 1º de março, a Campanha da Fraternidade 2017 conclama todos os cristãos e pessoas de boa vontade a conhecerem e cuidarem dos biomas brasileiros.

Neste ano de 2017, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) propõe um tema desafiador para a Campanha da Fraternidade: “Biomas brasileiros e defesa da vida”. A proposta é levar os católicos e a sociedade em geral a conhecerem os biomas brasileiros e a defenderem a diversidade de flora e fauna que, em todos os biomas, está ameaçada de alguma forma. Trata-se, como afirma o lema escolhido para a CF 2017, de “Cultivar e guardar a Criação” (Gn 2,15).

Conforme explica o secretário-geral da CNBB e bispo auxiliar de Brasília, dom Leonardo Ulrich Steiner, a proposta é dar ênfase à diversidade de cada bioma e criar relações respeitosas com a vida e a cultura dos povos que neles habitam, especialmente à luz do Evangelho. Para ele, a depredação dos biomas é a manifestação da crise ecológica que pede uma profunda conversão interior. “A criação é obra amorosa de Deus confiada a seus filhos e filhas. Nossa Senhora Mãe de Deus e dos homens acompanhará as comunidades e famílias no caminho do cuidado e cultivo da casa comum no tempo quaresmal”, afirma ele.

Os seis principais biomas brasileiros são: Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica, Pampas, Caatinga e Pantanal. Cada um dos biomas envolve vários estados do País e tem características próprias de fauna e flora, com grande biodiversidade. Há animais e plantas que só existem no Brasil; outros que sequer foram estudados ainda. E todos os biomas estão, de alguma forma, ameaçados pela ação humana que provoca desmatamento, risco de extinção de espécies animais e vegetais, uso predatório e inconsequente dos recursos naturais, entre outros.

 

Texto-base

Para ajudar as famílias, comunidades, escolas, obras sociais etc. a vivenciarem a Campanha da Fraternidade, a CNBB lançou, como em todos os anos, um Texto-base. Dividido em quatro capítulos, o texto utiliza o método do “ver, julgar e agir”. Na primeira parte, são abordados os biomas existentes, suas características e os riscos que cada um corre. Em seguida, o documento traz reflexões sobre os biomas e os povos originários sob a perspectiva das contribuições eclesiais e de textos de São João Paulo II, Bento XVI e do Papa Francisco. Ao final, são apresentados os objetivos da CF e os gestos concretos que podem ser realizados em nome da Campanha.

Como exemplo dessas ações estão, entre outros, o aprofundamento de estudos, debates e celebrações nas escolas públicas e privadas sobre a temática abordada pela CF 2017; e o fortalecimento das redes e articulações para suscitar uma maior conscientização e novas práticas na defesa dos ambientes essenciais à vida. No campo político nacional, o Texto-base incentiva a criação de um Projeto de Lei que impeça o uso de agrotóxicos.

A CNBB destaca que é importante que cada comunidade, a partir do bioma em que vive e em relação com os povos originários desses biomas, faça o discernimento de quais ações são possíveis regionalmente, e entre elas quais são as mais importantes e de impacto mais positivo e duradouro.

 

Na prática

Todas as escolas e obras sociais da Rede Salesiana Brasil prepararam-se para viver com intensidade a Campanha da Fraternidade 2017. Houve reuniões e encontros de preparação dos educadores; planejamento de atividades a serem desenvolvidas durante a Quaresma e no decorrer do ano; e envolvimento das comunidades educativo-pastorais.

Algumas escolas já iniciaram o ano letivo com atividades relacionadas à CF 2017. Foi o caso do Ateneu Dom Bosco, em Goiânia, GO. Para despertar o interesse dos alunos para os biomas brasileiros, a primeira aula de “Vivência Ambiental” foi para conhecer a dimensão e a imensa variedade de seres vivos e de ecossistemas existentes no planeta.

Outro exemplo é o do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, de Petrolina, PE, que este ano terá vários projetos interligados com o objetivo de estudar o bioma da região: a caatinga. “Já faz algum tempo que nós trabalhamos com projetos que surgem a partir da Campanha da Fraternidade e que se tornam o fio condutor do trabalho anual. São projetos executados com muita criatividade e com a participação direta de todos os pais”, conta Thacyana Gonzaga, orientadora educacional da Educação Infantil.

Para 2017, cada turma ficou responsável por explorar uma temática: o maternal (2 anos) conhecerá as frutas nativas e as cultivadas na caatinga no projeto “Vale das frutas”. No Infantil (3 anos), o tema é “Ver de perto a caatinga”, voltado para a flora da região. Conhecer e proteger os animais do bioma é o foco do projeto “A bicharada da caatinga”, do Infantil 2 (4 anos). Os alunos do Infantil 3 (5 anos) vão estudar o “Velho Chico, cor e vida na caatinga” e os do primeiro ano vão conhecer a cultura local com o projeto “Sou sertanejo, sim senhor!”. “Cada projeto tem ações próprias, porém ações coletivas estão programadas e os pais aparecem como parceiros”, completa Thacyana. É importante destacar que nas escolas e obras sociais salesianas o tema da Campanha da Fraternidade é desenvolvido não apenas na Quaresma, mas durante todo o ano letivo. 

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Wednesday, 01 March 2017 22:43

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


CF 2017: conhecer e preservar

Wednesday, 01 March 2017 13:42 Written by 
Iniciada em 1º de março, a Campanha da Fraternidade 2017 conclama todos os cristãos e pessoas de boa vontade a conhecerem e cuidarem dos biomas brasileiros.

Neste ano de 2017, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) propõe um tema desafiador para a Campanha da Fraternidade: “Biomas brasileiros e defesa da vida”. A proposta é levar os católicos e a sociedade em geral a conhecerem os biomas brasileiros e a defenderem a diversidade de flora e fauna que, em todos os biomas, está ameaçada de alguma forma. Trata-se, como afirma o lema escolhido para a CF 2017, de “Cultivar e guardar a Criação” (Gn 2,15).

Conforme explica o secretário-geral da CNBB e bispo auxiliar de Brasília, dom Leonardo Ulrich Steiner, a proposta é dar ênfase à diversidade de cada bioma e criar relações respeitosas com a vida e a cultura dos povos que neles habitam, especialmente à luz do Evangelho. Para ele, a depredação dos biomas é a manifestação da crise ecológica que pede uma profunda conversão interior. “A criação é obra amorosa de Deus confiada a seus filhos e filhas. Nossa Senhora Mãe de Deus e dos homens acompanhará as comunidades e famílias no caminho do cuidado e cultivo da casa comum no tempo quaresmal”, afirma ele.

Os seis principais biomas brasileiros são: Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica, Pampas, Caatinga e Pantanal. Cada um dos biomas envolve vários estados do País e tem características próprias de fauna e flora, com grande biodiversidade. Há animais e plantas que só existem no Brasil; outros que sequer foram estudados ainda. E todos os biomas estão, de alguma forma, ameaçados pela ação humana que provoca desmatamento, risco de extinção de espécies animais e vegetais, uso predatório e inconsequente dos recursos naturais, entre outros.

 

Texto-base

Para ajudar as famílias, comunidades, escolas, obras sociais etc. a vivenciarem a Campanha da Fraternidade, a CNBB lançou, como em todos os anos, um Texto-base. Dividido em quatro capítulos, o texto utiliza o método do “ver, julgar e agir”. Na primeira parte, são abordados os biomas existentes, suas características e os riscos que cada um corre. Em seguida, o documento traz reflexões sobre os biomas e os povos originários sob a perspectiva das contribuições eclesiais e de textos de São João Paulo II, Bento XVI e do Papa Francisco. Ao final, são apresentados os objetivos da CF e os gestos concretos que podem ser realizados em nome da Campanha.

Como exemplo dessas ações estão, entre outros, o aprofundamento de estudos, debates e celebrações nas escolas públicas e privadas sobre a temática abordada pela CF 2017; e o fortalecimento das redes e articulações para suscitar uma maior conscientização e novas práticas na defesa dos ambientes essenciais à vida. No campo político nacional, o Texto-base incentiva a criação de um Projeto de Lei que impeça o uso de agrotóxicos.

A CNBB destaca que é importante que cada comunidade, a partir do bioma em que vive e em relação com os povos originários desses biomas, faça o discernimento de quais ações são possíveis regionalmente, e entre elas quais são as mais importantes e de impacto mais positivo e duradouro.

 

Na prática

Todas as escolas e obras sociais da Rede Salesiana Brasil prepararam-se para viver com intensidade a Campanha da Fraternidade 2017. Houve reuniões e encontros de preparação dos educadores; planejamento de atividades a serem desenvolvidas durante a Quaresma e no decorrer do ano; e envolvimento das comunidades educativo-pastorais.

Algumas escolas já iniciaram o ano letivo com atividades relacionadas à CF 2017. Foi o caso do Ateneu Dom Bosco, em Goiânia, GO. Para despertar o interesse dos alunos para os biomas brasileiros, a primeira aula de “Vivência Ambiental” foi para conhecer a dimensão e a imensa variedade de seres vivos e de ecossistemas existentes no planeta.

Outro exemplo é o do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, de Petrolina, PE, que este ano terá vários projetos interligados com o objetivo de estudar o bioma da região: a caatinga. “Já faz algum tempo que nós trabalhamos com projetos que surgem a partir da Campanha da Fraternidade e que se tornam o fio condutor do trabalho anual. São projetos executados com muita criatividade e com a participação direta de todos os pais”, conta Thacyana Gonzaga, orientadora educacional da Educação Infantil.

Para 2017, cada turma ficou responsável por explorar uma temática: o maternal (2 anos) conhecerá as frutas nativas e as cultivadas na caatinga no projeto “Vale das frutas”. No Infantil (3 anos), o tema é “Ver de perto a caatinga”, voltado para a flora da região. Conhecer e proteger os animais do bioma é o foco do projeto “A bicharada da caatinga”, do Infantil 2 (4 anos). Os alunos do Infantil 3 (5 anos) vão estudar o “Velho Chico, cor e vida na caatinga” e os do primeiro ano vão conhecer a cultura local com o projeto “Sou sertanejo, sim senhor!”. “Cada projeto tem ações próprias, porém ações coletivas estão programadas e os pais aparecem como parceiros”, completa Thacyana. É importante destacar que nas escolas e obras sociais salesianas o tema da Campanha da Fraternidade é desenvolvido não apenas na Quaresma, mas durante todo o ano letivo. 

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Wednesday, 01 March 2017 22:43

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.