O retorno dos migrantes: salesianos abrem suas casas para eles

Thursday, 30 April 2020 13:57 Written by  Agência Info Salesiana
"Abrir as nossas casas salesianas e alimentar os pobres é a nossa resposta às emergências que nossos irmãos mais necessitados estão enfrentando" , padre Méndez, SDB.


As notícias que chegam da Venezuela são alarmantes. A imagem de um jovem erguendo uma faixa é forte e emblemática: ‘Estamos com fome’. A fome acompanha a pandemia e o silêncio em relação aos doentes e mortos. O Programa Mundial de Alimentos (PMA) alerta que o país sul-americano é uma das áreas que corre o risco de uma ‘carestia de dimensões bíblicas’ devido à pandemia do coronavírus. Numa reflexão, o padre salesiano Carlos Méndez falou sobre outra situação, tão terrível quanto caótica, que afeta a Venezuela: a migração e o retorno de muitas pessoas ao país.

"Na Venezuela, enfrentamos uma situação crítica que quebrou todos os parâmetros", explica o padre Méndez. Desde 2017, a crise migratória venezuelana tem sido realmente preocupante. Para a ONU e seu Alto Comissariado para os Refugiados (ACNUR), cuidar da situação dos migrantes faz parte dos projetos de ajuda destinados às pessoas que foram forçadas a se mudar para outros territórios em busca de segurança.

Entretanto, no atual contexto de confinamento causado pela Covid-19, muitos venezuelanos estão voltando ao seu país, motivados pelo encerramento inesperado dos auxílios e assistências que receberiam nos outros países.

Nos últimos anos, muitos deles caminharam por semanas a fio, passaram frio e fome, mas no final conseguiram chegar a outros países, inspirados pela esperança de um recomeço. Mas, agora, precisaram voltar, frustrados pela pandemia. Quem está pensando nestas pessoas que têm fome e precisam de tudo? Quem pode sair às ruas agora para dar a eles um pedaço de pão ou um copo de água?

O governo nacional solicitou aos salesianos da Venezuela que disponibilizem duas obras. A primeira é o Centro Agrícola Dom Bosco, situado em Carrasquero, no estado de Zulia, próximo à fronteira com a Colômbia. Atualmente vivem ali 290 pessoas em regime de reclusão compulsória, supervisionadas por militares e médicos indicados pelo governo. A comunidade salesiana ajuda espiritualmente essas pessoas e lhes fornece comida.

A segunda obra fica em Duaca, estado de Lara: dedicava-se ao cuidado de jovens de todo o país durante os Dias de Discernimento Vocacional, que agora receberá cerca de 200 pessoas.

“Nós, salesianos da Venezuela, sabemos que neste momento o importante é chegar aos necessitados e continuamos a abrir as portas aos marginalizados por esta pandemia. Abrir as nossas casas salesianas e alimentar os pobres é nossa resposta às emergências que nossos irmãos mais necessitados estão enfrentando" , ressalta o padre Méndez.


Fonte: Agência Info Salesiana

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Thursday, 30 April 2020 15:01

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.


O retorno dos migrantes: salesianos abrem suas casas para eles

Thursday, 30 April 2020 13:57 Written by  Agência Info Salesiana
"Abrir as nossas casas salesianas e alimentar os pobres é a nossa resposta às emergências que nossos irmãos mais necessitados estão enfrentando" , padre Méndez, SDB.


As notícias que chegam da Venezuela são alarmantes. A imagem de um jovem erguendo uma faixa é forte e emblemática: ‘Estamos com fome’. A fome acompanha a pandemia e o silêncio em relação aos doentes e mortos. O Programa Mundial de Alimentos (PMA) alerta que o país sul-americano é uma das áreas que corre o risco de uma ‘carestia de dimensões bíblicas’ devido à pandemia do coronavírus. Numa reflexão, o padre salesiano Carlos Méndez falou sobre outra situação, tão terrível quanto caótica, que afeta a Venezuela: a migração e o retorno de muitas pessoas ao país.

"Na Venezuela, enfrentamos uma situação crítica que quebrou todos os parâmetros", explica o padre Méndez. Desde 2017, a crise migratória venezuelana tem sido realmente preocupante. Para a ONU e seu Alto Comissariado para os Refugiados (ACNUR), cuidar da situação dos migrantes faz parte dos projetos de ajuda destinados às pessoas que foram forçadas a se mudar para outros territórios em busca de segurança.

Entretanto, no atual contexto de confinamento causado pela Covid-19, muitos venezuelanos estão voltando ao seu país, motivados pelo encerramento inesperado dos auxílios e assistências que receberiam nos outros países.

Nos últimos anos, muitos deles caminharam por semanas a fio, passaram frio e fome, mas no final conseguiram chegar a outros países, inspirados pela esperança de um recomeço. Mas, agora, precisaram voltar, frustrados pela pandemia. Quem está pensando nestas pessoas que têm fome e precisam de tudo? Quem pode sair às ruas agora para dar a eles um pedaço de pão ou um copo de água?

O governo nacional solicitou aos salesianos da Venezuela que disponibilizem duas obras. A primeira é o Centro Agrícola Dom Bosco, situado em Carrasquero, no estado de Zulia, próximo à fronteira com a Colômbia. Atualmente vivem ali 290 pessoas em regime de reclusão compulsória, supervisionadas por militares e médicos indicados pelo governo. A comunidade salesiana ajuda espiritualmente essas pessoas e lhes fornece comida.

A segunda obra fica em Duaca, estado de Lara: dedicava-se ao cuidado de jovens de todo o país durante os Dias de Discernimento Vocacional, que agora receberá cerca de 200 pessoas.

“Nós, salesianos da Venezuela, sabemos que neste momento o importante é chegar aos necessitados e continuamos a abrir as portas aos marginalizados por esta pandemia. Abrir as nossas casas salesianas e alimentar os pobres é nossa resposta às emergências que nossos irmãos mais necessitados estão enfrentando" , ressalta o padre Méndez.


Fonte: Agência Info Salesiana

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Thursday, 30 April 2020 15:01

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.